Swift

Critica: Deadpool


Olá Tripulação!

Ontem a noite fui a pré-estreia de um dos filmes mais aguardados do ano, Deadpool. O personagem mais zueiro dos quadrinhos ganhou uma versão cinematográfica, mas será que vale a pena assisti-la? Leia a crítica do filme e descubra se Ryan Reynolds tem uma segunda chance em nossos corações.

Muito bem, para quem não conhece a história deste anti-herói tagarela, aqui vai um breve resumo: Wade Wilson é um ex-militar e mercenário que é diagnosticado com câncer em estado terminal, porém decide fazer parte de uma sinistra experiência diante de uma possibilidade de cura. Contudo as coisas não ocorrem conforme o esperado, uma vez que a experiência acaba o desfigurando. Agora imortal e com poderes, tornar-se Deadpool e busca vingança contra o homem que destruiu sua vida.

Agora que todo mundo já se situou vamos à análise do filme. Primeiramente, devo confessar que estava insegura uma vez que a Fox não é referência quando se trata em adaptações de HQs (sem comentários Quarteto Fantástico). Contudo todas minhas dúvidas sumiram com os créditos iniciais, ali o filme já dizia o tom e a sua proposta e posso dizer que Deadpool é incrível do começo ao fim. Lógico que o filme não é perfeito, mas antes de apontar uns pequenos erros vamos falar dos acertos, pois este filme está cheio deles.

Hoje em dia a indústria cinematográfica está produzindo uma grande leva de filmes de super-heróis, praticamente todo ano temos de dois a quatro filmes dessa temática, o que vem saturando um pouco o público diante da estrutura entre eles serem bem semelhantes. Já neste filme tudo que é considerado padrão é jogado pela janela e é dado ao telespectador um novo tipo de narrativa. Entenda, os elementos básicos estão presentes, mas não são usados da maneira tradicional. Isso ocorre diante da brilhante edição de Julian Clarke ("Distrito 9") que nos dá um filme com um ritmo rápido, uma narrativa objetiva e uma trilha sonora muito bem inserida (daquelas que você quer chegar em casa e baixar de tão boa!)

O diretor estreante Tim Miller, foi uma grata surpresa. Adorei ele não ter utilizado a famosa “shaky cam” nas cenas de ação - o que particularmente me irrita - e ter optado por cenas claras onde você vê toda a ação acontecendo nitidamente, demonstrando o conhecimento dele sobre o gênero. 


Os diálogos desse filme são SENSACIONAIS! Gente, eu não estou de brincadeira, a quantidade de referências a cultura pop, geek, aos anos 80 e 90 são inúmeras e tão bem inseridas que para citar cada uma delas teria que fazer outro post. O texto é ácido, politicamente incorreto e extremamente engraçado, fazia tempo que não me divertia tanto no cinema. Se eu desse uma estimativa diria que cerca de 95% das piadas desse filme funcionam e isso se deve há um roteiro muito bem escrito que conhece o personagem que está retratando.

Por falar em personagem, arrisco dizer que Deadpool é a melhor adaptação de personagem de histórias em quadrinhos para o cinema. A produção captou sua personalidade e a trouxe para tela de maneira fantástica, fazendo com que ele fosse evento principal do filme. Ai você pode se questionar “Óbvio que ele é o evento do filme, ele é o personagem principal!” O que quero dizer é que o personagem é tão bem construído, que o espectador fica mais focado em suas ações ou atitudes do que nas cenas de ação que o filme possui.

gallery image

Grande parte desse sucesso também se deve a Ryan Reynolds, devo dizer que nunca fui fã do cara, mas sabe aqueles papéis que nasceram para uma pessoa, tipo como o Robert Downey Jr. nasceu para viver o Homem de Ferro. Pois bem, Ryan Reynolds é Deadpool. O ator é carismático e está muito bem no filme, completamente a vontade no papel e se divertindo demais, fazendo com que todas as suas ações ou reações - até mesmos as exageradas e caricatas - sejam orgânicas. Não incomodando em nada o espectador, muito pelo contrário, fazendo este se envolver cada vez mais com personagem.

Lógico que nem tudo são flores, o roteiro tem alguns furos e os personagens secundários não são bem desenvolvidos como o principal. Contudo se há algum incômodo em relação ao filme eu diria que foi o vilão Ajax. Simplesmente eu não senti força nele, é como se ele fosse o capanga do verdadeiro vilão, aquele que fica lutando para salvar a energia do chefe, sabe?


Apesar de apontar esses probleminhas, isso não atrapalha em nada a experiência que você vai ter no cinema. Até mesmo porque o próprio filme não se leva a sério. Com isso, concluo que Deadpool foi um filme muito acima das minhas expectativas, pois consegue agradar gregos e troianos com seu humor negro, uma narrativa diferente e com uma liberdade artística (diante de sua classificação etária) que nenhum filme de super-heróis até hoje atingiu.



LEIA TAMBÉM