Swift

Critica: Capitão América: Guerra Civil


A tão aguardada adaptação de um dos arcos mais famosos da Marvel finalmente chegou as telas do cinema, surpreendendo até mesmo aqueles que já foram com expectativas altas, e como não podia faltar, nossa equipe fez uma resenha especial e sem spoilers!

Para um arco com mais de 100 HQ´s, os diretores Anthony e Joe Russo souberam adaptar e conciliar a história com os 146 minutos de filme. Sabe-se que uma adaptação totalmente fiel seria impossível, pois não caberia em apenas um longa e não se encaixaria no universo Marvel, devido a inúmeros fatores, como por exemplo, os direitos de diversos personagens que foram vendidos (como Homem Aranha) e que teriam uma certa importância na trama.


Mas vamos falar do filme que é o que realmente interessa. Embora o título carregue “Capitão América” o filme está mais para uma continuação de Vingadores, e não pense que isto é um ponto negativo, muito pelo contrário, personagens que não haviam sido tão bem explorados nos outros filmes, receberam uma grande atenção em Guerra Civil, até mesmo aqueles que não haviam sido apresentados tiveram um desenvolvimento especial durante o longa.

Em relação ao início da Guerra Civil, houve uma boa adaptação - lembrando que na HQ o motivo inicial seria a morte de diversas pessoas durante um conflito de adolescentes com superpoderes - sendo diferente do que muitos pensavam, ou seja, não apenas Steve Rogers querendo proteger Bucky Barnes.


Com certeza um dos pontos altos do filme foi a apresentação dos novos integrantes da MCU (ou Marvel Cinematic Universe), sendo eles Pantera Negra e Homem Aranha. Falando um pouco destes dois personagens, o Pantera Negra se desenvolve mais para o final do filme, se tornando aquele personagem que todos conhecemos das histórias em quadrinhos. Já o Homem Aranha realmente surpreendeu muito, sua pequena participação no filme certamente criou grandes gargalhadas e nos fez ficar ainda mais ansiosos para seu filme solo em 2017.



As lutas foram muito bem coreografadas, porém a partir da metade do filme acabaram ficando sem sentido e, inclusive, deixando a luta principal um pouco a desejar.

O romance entre a Feiticeira Escarlate e o Visão não foi tão bem explorado. Deixando o último meio bobo durante o filme, como se fosse um menino tolo apaixonado e assim perdesse toda sua importância durante a trama.

Falando dos dois personagens principais, houve uma adaptação um tanto quanto fiel, sendo o Capitão América muito mais fidedigno que o Homem de Ferro. No começo do filme vemos um Tony Stark que sempre toma decisões que o façam se sentir melhor, pois se arrepende de erros que cometeu, sendo está analogia mantida até o meio do filme. Contudo do meio em diante transformaram ele em apenas em um cara que quer brigar e ir atrás do Capitão América, e talvez esse seja um dos pontos negativos.

Outro ponto negativo, na qual acho até mesmo uma regressão, é o CGI da armadura do Homem de Ferro, que se for comparada com todos os outros filmes acabou ficando até mesmo tosca.   



O filme acaba tendo um "Vilão" que aparenta estar ali apenas para falarmos que há tal personagem no filme, pois além de não ter sido tão bem desenvolvido, passa a impressão que qualquer um pode se tornar um vilão e fazer o que bem entender com os super-heróis mais poderosos da terra.

Um receio que havia em muitos fãs ansiosos para o filme seria de que Tony Stark roubaria a cena, isto é algo do qual se pode ficar tranquilo, pois a trama toda é desenvolvida pelo Steve Rogers, tendo o Tony como antagonista.



Levando em conta todos estes aspectos, o filme em uma escala de 0 a 5 é digno de 4 capacetes, pois conseguiu passar para o cinema um dos arcos que todos acharam que seria impossível, mesmo que tenha desandado depois da metade do filme, todos sabem que não há adaptação que seja totalmente fiel.




E uma dica importante que vale lembrar, o filme possui duas cenas pós-crédito, então por mais que demore, não se esqueça de ficar até depois que todos os nomes subam.

LEIA TAMBÉM