Swift

Universo Cosplay: Thiago Franco


Após um longo hiatus, o Universo Cosplay está de volta! Para comemorar a volta desta missão, nossa tripulação se conectou via Whatsapp com o cosplayer Thiago Franco. Sempre simpático, ele nos contou em detalhes como conheceu o mundo do cosplay, suas inspirações e influências. Quer saber mais? Confira a entrevista abaixo!

E.A: Primeiramente, conte como você conheceu o mundo dos cosplays...

O primeiro contato com esse mundo foi aos 8 anos, onde fui com meu primo há um evento bem pequeno, na qual permaneci pouco tempo. Contudo, foi o suficiente para ver alguns cosplays e me interessar. Lembro, que enlouqueci ao ver um cosplay de Ash (Pokémon) e quis na hora fazer um também!

Outro fator interessante, é que nesta época, o Brasil foi campeão da Copa do Mundo de 2002, tendo minha escola realizado uma festa fantasia para comemorar a vitória. Minha mãe toda esforçada fez uma camisa e capa do Superman, que era bem simples e com tampinhas de refrigerante. Desde então quis fazer meus personagens favoritos, tendo feito meu primeiro cosplay aos 11/12 anos, no evento Anime Friends, onde fui caracterizado como Harry Potter (hoje meu principal cosplay). A partir dai, fui melhorando aos poucos.

                 

E.A: Você se utiliza algum critério na escolha de personagens? Quais seriam?

Não tenho um critério específico, o principal é que tenho que gostar do personagem que irei retratar. Logo após, vejo se existe alguma semelhança entre eu e o personagem, por exemplo, no caso de Harry Potter, sempre fui fã de toda a saga e me conectei instantaneamente com o personagem ao ponto de ver o reflexo da minha imagem nele enquanto lia suas aventuras. O que me trouxe certa desilusão na época em que os filmes foram lançados, pois não senti essa semelhança com o ator que o interpretava.

No entanto, há alguns casos de paixão mútua, sendo o Coringa um ótimo exemplo, já que sou fã tanto personagem como do ator que o interpreta. Esses são os casos em que gosto de prestar homenagens com o meu cosplay.
              
E.A: Sabemos que ainda existem pessoas que criticam o trabalho dos cosplayers. Você já passou por algum tipo de dificuldade?

Infelizmente, posso confirmar que ainda somos alvos de críticas e pré-conceitos dentro de casa, com amigos, nas ruas, etc. Tendo sim, já passado por muitas dificuldades.

Recentemente, tive um problema com a polícia militar. Estava voltando para casa, caracterizado como Coringa, quando fui abordado por dois policiais solicitando uma revista. Ao revistarem minha mochila encontraram minha arma de brinquedo - que faz parte da composição do meu cosplay - e disseram que teriam que confiscar está, pois tal objeto fazia "apologia ao crime", tentei argumentar com um dos policiais e explicar que a arma fazia parte do meu figurino e que claramente podia ser identificada como um brinquedo. Enquanto isso, o outro policial entrava em contato com a DP para verificar meus antecedentes.

Ao constatar que possuo ficha limpa, eles quiseram me liberar. Contudo de sacanagem, o primeiro policial insistiu em ficar com minha arma, não tendo aceitado está condição imposta por ele, o mesmo me disse que teria que ser "conduzido". Fiquei desesperado e tentei mais uma vez explicar que era cosplayer e que ganho minha vida com isso. Após um tempo, o segundo policial me liberou, mas antes de irem embora o primeiro policial me indagou: "Que tipo de gente contrata uma idiotice dessa?". Não respondi, fiquei mudo, pois tinham deixado eu ficar com a arma, porém fiquei extremamente irritado com a falta de profissionalismo.
          

E.A: Você já influenciou alguém?

Sim, meu irmão gosta muito de ir em eventos e cosplays. Além disso, muitos amigos começaram a fazer cosplay após presenciarem minhas loucuras e como entro no personagem. Tenho orgulho de falar que grandes amigos que começaram por conta dos meus cosplay, hoje são ótimos cosplayers.

E.A: Qual é a parte mais recompensadora de ser um cosplayer?

Ser um cosplayer traz uma coisa que não sei medir a grandeza, o sorriso do próximo. Seja por nostalgia, por amor ao personagem ou até mesmo por um momento engraçado. Nada vale mais do que "realizar" o dia de alguém que sá até os "sonhos".

Cosplay é a beleza  de um mundo que não podemos alcançar sem sonhar...


E.A: Quem são suas maiores influências?

Minhas influências são basicamente pessoas que se esforçam para fazer algo legal. Particularmente, acho que atuação conta muito, então procuro observar atores e como eles trabalham com seus personagens.

Sendo assim, minha maior influência é o músico/ator Jared Leto, sendo este um dos maiores artistas do século XXI. Contudo, tenho um cosplayer que adoro acompanhar chamado Hermes Barreto, ele é um GÊNIO!

E.A: Que tipos de personagem te atraem?

Só pego personagens que eu conheço, não faço por fazer. Sempre me apego aos personagens, me imagino sendo eles, crio uma expectativa....até chegar ao ponto de dizer "quero fazer esse personagem!". 

É como se eu me visse sendo aquele personagem.
                                              
                 

E.A: Quais são seus próximos projetos?

Irei fazer mais algumas versões do Coringa, assim como, estou confeccionando uma nova armadura do  personagem Jason Todd  de "Capuz Vermelho e os Fora da Lei". Além disso, quero manter o pé no cosplay oriental, por isso, pretendo fazer um cosplay de Sasuke Uchicha (Boruto, o Filme) em homenagem ao fim do anime "Naruto".

Com isso, encerramos mais um Universo Cosplay tripulação. Para conhecer mais o Thiago e seu trabalho como cosplayer é só acompanha-lo em suas redes socias: facebook - fanpage - instagram



CRÉDITOS
Fotos: Thiago Franco
Fotos Coringa: Danilo Vianna

LEIA TAMBÉM