Swift

Palpites Oscar 2017


Amanhã, 26 de Fevereiro (Domingo), ocorre a 89ª edição do prêmio mais importante da indústria cinematográfica, o Oscar. A apresentação deste ano será comandado pelo apresentador Jimmy Kimmel, que prometeu bastante humor.

Não há dúvidas que o favorito deste ano é La La Land:Cantando Estações, porém vale ressaltar que há muitas produções boas que podem surpreender e levar a estatueta para casa. Com isso, decidi chamar meu amigo João Paulo, que entende TUDO de cinema, para darmos nossos palpites sobre quem serão os grandes vencedores e por quem estamos torcendo. Ficou curioso? Então confira nosso texto, onde destrinchamos todas as categorias da premiação.



Fe: Este ano temos 9 indicados ao Oscar de melhor filme, sendo uma competição bastante acirrada. Contudo devo confessar que os grandes destaques vão para La La Land: Cantando Estações e Moonlight: Sob a Luz do Luar. O primeiro é uma homenagem aos musicais antigos, combinado com uma bela direção, fotografia e trilha sonora. Enquanto o segundo, tem um roteiro e atuações que tratam de dramas humanos com uma sutileza e um sentimentalismo sem apelar para o “dramalhão”, te convidando a imergir na vida daquele personagem e entender suas escolhas. No entanto, quem deve levar a estatueta é La La Land, tendo em vista os resultados das grandes premiações, apesar de Moonlight ter me causado maior impacto pela sua beleza simples e sua história de forte cunho social.

Vai ganhar: La La Land: Cantando Estações
Merecia ganhar: Moonlight: Sob a Luz do Luar

JP: Não há dúvidas que esta categoria está bastante disputada, porém nas entrelinhas, a briga está mesmo entre La La Land: Cantando Estações, Moonlight: Sob a Luz do Luar e Manchester á Beira Mar. Os dois últimos tratam de histórias densas com assuntos delicados, junte isso a um roteiro exemplar e uma direção impecável, não há dúvidas que merecem melhor filme, principalmente Moonlight. No entanto pelo conjunto da obra, o musical La La Land me causou um impacto maior e a sensação boa que continuou na minha mente por vários dias, a direção, as atuações, o roteiro, as canções e a direção de arte fazem do longa a escolha ideal para levar melhor filme, desta forma acredito que leve o prêmio para casa.

Vai ganhar: La La Land: Cantando Estações
Merecia ganhar: Moonlight: Sob a Luz do Luar

Fe: A categoria se resume a dois nomes, Damien Chazelle (La La Land) e Barry Jenkins (Moonlight). Chazelle claramente tem uma coerência temática e sabe como ninguém brincar com a realidade e o lúdico, transportando o espectador para uma jornada de autoconhecimento cheia de números musicais. Já Barry Jenkins, consegue transmitir um sentimentalismos em sua direção. O filme possui inúmeros momentos silenciosos onde o diretor convida o espectador a compreender as entrelinhas que cada olhar, expressão traz.

Vai Ganha: Barry Jenkins, “Moonlight: Sob a Luz do Luar”
Merece Ganhar: Barry Jenkins, “Moonlight: Sob a Luz do Luar”

JP: Assim como a categoria melhor ator, está categoria se resume a dois indicados, Damien Chazelle (La La Land) e Barry Jenkins (Moonlight). Eu gosto dos outros três concorrentes, acredito que Denis Villeneuve faz um trabalho genial em A Chegada, assim como Kenneth Lonergan no dramático Manchester á Beira Mar e pessoalmente se Mel Gibson levasse o Oscar por Até o Último Homem seria uma reviravolta sensacional devido a seu trabalho impecável na direção. Porém seguindo a lógica, o prêmio está na mão de Damien Chazelle, o cara levou diversos prêmios inclusive o DGA (prêmio da associação de diretores) e vamos combinar, o cara sabe filmar, é criativo, controla sua narrativa com fluidez e objetividade. Por outro lado Barry Jenkins também faz um trabalho estupendo em Moonlight, sua criatividade narrativa, sua sensibilidade na direção dos atores e no cuidado em contar a história, o torna um concorrente forte na disputa e a oportunidade da academia agraciar um diretor negro de talento numa categoria de direção.

Vai ganhar: Damien Chazelle (La La Land: Cantando Estações)
Merece Ganhar: Barry Jenkins (Moonlight: Sob a Luz do Luar) ou Mel Gibson (Até o Último Homem)


Fe: Dentre os indicados devo dar destaque para Casey Affleck e Viggo Mortensen. Os dois atores demonstraram grandes atuações, respectivamente, em Manchester á Beira Mar e Capitão Fantástico. Outro ator que tem ganhado força na temporada é Denzel Washington, por um Um Limite entre Nós, com uma atuação intensa, fazendo você sair do cinema com raiva de seu personagem. Por fim, Andrew  Garfield e Ryan Gosling são competentes em seus respectivos papéis porém não devem entrar na disputa pela estatueta. Definitivamente, acho que Casey Affleck é o favorito da categoria, com uma atuação contida consegue transmitir toda a complexidade de seu personagem, assim como, seu luto. 

Vai ganhar: Casey Affleck, Manchester á Beira Mar
Merecia ganhar: Viggo Mortensen, Capitão Fantástico

JP: Esta categoria se resume a dois atores, Denzel Washington e Casey Affleck. Adoro a atuação de Andrew Garfield em Até O Último Homem e também gosto da atuação do Viggo Mortensen no excelente Capitão Fantástico, Ryan Gosling apesar de ser um ator de múltiplos talentos, não chega a ser fantástico em La La Land, apesar da química explosiva com Emma Stone. No caso de Washington e Affleck, ambos vem alternando vitórias no circuito de premiações, até o final do ano passado o segundo liderava com folga, mas com a vitória no SAG (prêmio da associação de atores), Denzel igualou a disputa e possui reais chances de levar seu terceiro oscar para casa. No entanto, pessoalmente considero a atuação de Casey Affleck melhor em Manchester á Beira Mar, um personagem complexo, cheio de nuances e que faz você sentir que precisa entrar na tela da TV e ajudá-lo, não me leve a mal, Denzel Washington está excelente em Um Limite Entre Nós, afinal o cara tem talento comprovado diversas vezes em outros papéis, mas acredito que seria justo Affleck levar seu primeiro Oscar no domingo.

Vai ganhar: Denzel Washington, Um Limite Entre Nós
Merecia ganhar: Casey Affleck, Manchester á Beira Mar


Fe: Na minha opinião, a categoria mais difícil deste ano. Todas as indicadas estão divinas em seus respectivos papéis. Emma Stone, está doce e extremamente apaixonante como Mia em La La Land. Isabelle Huppert está monstruosa em Elle, ao retratar as consequências e complexidades de uma vítima de abuso sexual. Natalie Portman, é Jackie, a atriz passou muito tempo estudando Jacqueline Kennedy, pois os gestos e até a fala são idênticos, combinando com a boa atuação, sua indicação é merecida. Ruth Negga em Loving consegue transmitir um sentimento incrível em cena. Por fim, Merly Streep, em Florence - Quem É Essa Mulher?, tem uma boa atuação mas acho que dentre as outras concorrentes é a que tem menos chance de ganhar a estatueta.

Vai ganhar:  Isabelle Huppert, Elle
Merece Ganhar: Isabelle Huppert, Elle

JP: Esta categoria talvez seja a mais disputada dos últimos anos. Vamos deixar uma coisa clara aqui, se Amy Adams estivesse na disputa, seria ainda mais emocionante e mais difícil prever a vitória das indicadas, porém mais uma vez a academia cometeu um crime imperdoável em não indicar a atriz de A Chegada. Ainda assim temos uma disputa acirrada, porque Emma Stone, Isabelle Huppert e Natalie Portman possuem boas chances de levar. No caso de Meryl Streep indicada por Florence - Quem É Essa Mulher?, suas chances são mínimas, porque ficou na cara que atriz foi indicada pelo nome e pelo discurso no Globo de Ouro. Ruth Negga esta fantástica em Loving, por mim ela ganharia fácil esta categoria, mas a concorrência está bastante forte, então suas chances também são mínimas. Natalie Portman até final do ano passado era favorita unânime por Jackie, a atriz realmente está muito bem no papel, porém com a vitória de Isabelle Huppert no globo de ouro e a vitória de Emma Stone no SAG e em outras premiações importantes, tudo se resumiu as duas e Portman perdeu seu momento. Pessoalmente, Emma Stone leva por La La Land, a atriz está excelente, canta, dança, tem um carisma incrível e serve de contraponto perfeito ao personagem de Ryan Gosling. Porém acredito que se Huppert leva-se, não acharia ruim não, até porque sua personagem é a mais complexa dentre as concorrentes e apesar de ficar dividido quanto ao filme Elle, não há dúvidas que a atriz francesa é uma força da natureza no longa.

Vai ganhar: Emma Stone, La La Land
Merece Ganhar: Isabelle Huppert, Elle

Fe: Devo confessar que todo favoritismo que cerca Mahershala Ali tem cabimento. O ator consegue em 40 minutos quebrar um estereótipo e trazer uma atuação bem sutil para um personagem que poderia ser considerado o “carrancudo”. Além disso, sua relação com Chiron e o modo que constrói essa amizade é muito bem feita, merecendo sim todos os elogios. Dev Patel também está bem, contudo por conta de um segundo ato confuso, a atuação do ator é prejudicada. Jeff Bridges, está excelente como sempre, mas seu personagem é o Xerife conservador do oeste, já interpretado por este em outra produção e por este motivo a academia não deve lhe dar a estatueta. Michael Shannon apesar de ser um ótimo ator tenho a impressão de quem tem poucas chances de levar o Oscar, assim como, Lucas Hedge. Ambos possuem boas atuações, mas diante dos outros concorrentes suas chances são pequenas.

Vai ganhar: Mahershala Ali, Moonlight
Merece Ganhar: Mahershala Ali, Moonlight

JP: Tecnicamente fácil, mas que talvez tenha alguma surpresa no caminho. Primeiramente, acho Michael Shannon um ótimo ator em Animais Noturnos, porém suas chances nesta categoria são mínimas, assim como Lucas Hedge por Manchester á Beira Mar, ambas performances boas, mas não extraordinárias. Jeff Bridges é excelente em tudo que faz e no longa A Qualquer Custo não é diferente, porém seu personagem tem aquela sensação de mais do mesmo e por isso não deve levar a estatueta desta vez. No caso de Dev Patel tenho minhas dúvidas, seu papel em Lion é muito bom, porém ele ganhando seria apenas uma forma da academia trazer mais diversidade ao prêmio, não que isso seja ruim, mas acredito que Bridges e Ali são os favoritos aqui. Falando em Mahershala Ali, pessoalmente ele é meu favorito pelo seu trabalho em Moonlight e acredito que leva o prêmio, seu personagem é extremamente interessante, emotivo e funciona como peça chave para moldar parte do caráter do jovem Chiron, tanto que sua presença é sentida até o último ato, mesmo sem sua presença física.

Vai ganhar: Mahershala Ali, Moonlight
Merece Ganhar: Mahershala Ali, Moonlight

Fe: Essa categoria já tem dona e o nome dela é Viola Davis. A atriz em Um Limite Entre Nós está espetacular, conseguindo dar a sua personagem força com muita naturalidade. Outra atriz que ao meu ver está forte na disputa é Naomi Harris, ela está simplesmente brilhante em Moonlight, ao mesmo tempo que você sente raiva dela, consegue também se sensibilizar com sua condição. Octavia Spencer, Michelle Williams e Nicole Kidman também apresentam boas atuações, contudo são ofuscadas por Harris e Davis.

Vai Ganhar: Viola Davis, “Um Limite Entre Nós”
Merece Ganha: Viola Davis, “Um Limite Entre Nós”

JP: Esta é a categoria mais fácil de todas que aqui estão. Esta categoria deveria receber o título de “Viola Davis este oscar é seu”, brincadeiras a parte, não há dúvidas que a atriz de Um Limite Entre Nós faz um trabalho excepcional, tão excepcional que muitos dizem que ela deveria estar concorrendo na categoria melhor atriz e não melhor atriz coadjuvante, algo que concordo plenamente, afinal ela é tão principal quanto seu parceiro de cena Denzel Washington. Sobre as outras indicadas, todas estão bem, mas não tem muitas chances com Davis na disputa, porém devo dizer que se Michelle Williams levasse por Manchester á Beira Mar, eu não acharia ruim, afinal ela é espetacular mesmo com pouco tempo de tela, outra que está excelente é Naomie Harris por Moonlight, a atriz está de uma entrega neste papel que realmente fez valer a indicação. No caso de Octavia Spencer no ótimo Estrelas Além do Tempo e Nicole Kidman no excelente Lion, ambas estão realmente bem, mas bem abaixo das outras três concorrentes. No final, tudo se resume a Viola Davis em um de seus melhores papéis.

Vai ganhar: Viola Davis, “Um Limite Entre Nós”
Merece Ganhar: Viola Davis, “Um Limite Entre Nós”

JP: Normalmente a categoria de filme estrangeiro é uma das minhas favoritas do oscar, porque tem sempre um filme interessante europeu, asiático, sul americano ou africano interessante de assistir. Este ano foi a primeira que vez que a categoria não me despertou tanto interesse, principalmente depois do estupendo longa coreano “A Criada” (“The Handmaiden”) ter sido ignorado pela academia, afinal ninguém ignora um filme do gênio Park Chan-Wook. Ok, desta forma vou ser bem direto aqui, de todos na disputa, o filme alemão Toni Eardman é o favorito a ser batido, porém devido ao sistema anti-imigração de Donald Trump impedindo que um dos membros do longa iraniano O Apartamento (“The Salesman”) entrar nos EUA, reacendeu toda uma discussão sobre imigração. Pode ser que este acabe se tornando o favorito a levar a estatueta no dia 26, desta forma acredito que os membros devem ficar tocados com a história coroando o filme como forma de protesto.

Vai ganhar: O Apartamento
Merece ganhar: Toni Eardman

Fe: Devo concordar com João, que “A Criada”, de Park Chan-Wook, deveria estar nesta categoria e simplesmente foi ignorado. Voltando aos indicados, Toni Eardman deve levar o prêmio pois a maneira como é contada a complexa e inusitada relação entre pai e filha é incrível e cheia de inúmeras cenas cômicas. Outro filme que cresceu bastante na disputa foi O Apartamento porém por razões que ultrapassam a sétima arte, devido a recente política em que proíbe a entrada de pessoas muçulmanas nos EUA.

Vai ganhar: Toni Eardman
Merece ganhar: Toni Eardman

Categoria que possui fortes concorrentes. Em Zootopia somos apresentados a raposa Nick Wilde e a coelha Judy Hopps, dois inimigos que precisam se unir para solucionar um mistério. A animação da Disney é divertida e traz diversos questionamentos quanto a questões raciais, gênero, sistema público, governo etc. Já em Moana, a personagem título é a futura líder de sua tribo mas possui um desejo de se aventurar pelo mar. Com bastante empoderamento feminino, a trama desconstrói o papel de princesa, ao dizer, que está não é apenas uma donzela em perigo mas uma mulher forte, inteligente, dona de si que não precisa do seu príncipe encantado para ser salva. Em Kubo e as Cordas Mágicas é contada a história de um garoto que após a morte da sua mãe parte numa jornada para achar a armadura lendária de seu pai para derrotar suas tias e seu maligno avô, sendo considerado um dos melhores stop motion dos últimos anos. Em A Tartaruga Vermelha,por meio de roteiro sutil e inteligente somos introduzidos há uma história sem diálogos, onde principal ponto é o visual  e a trilha sonora que convida o espectador a imergir nesse mundo. Por fim, Minha Vida de Abobrinha é uma animação que fala sobre a vida de uma criança órfã e como está deve lidar com o mundo. Com uma certa melancolia, o filme traz uma reflexão sobre o peso que essas crianças carregam.

Fe
Vai ganhar: Zootopia  /Merece ganhar: Moana

JP
Vai Ganhar: Zootopia / Merece Ganhar: Kubo e as Cordas Mágicas

O favorito da categoria é Piper: Descobrindo o Mundo, o curta  da Pixar conta a história do passarinho que precisa superar seu medo do mar para poder se alimentar.. A animação é muito bonita, sendo importante destacar a tecnologia usada para recriar as penas dos pássaros. Outro que vem ganhando força no circuito é Blind Vaysha, que com técnicas de xilogravura, conta a história do personagem título que possui o poder de ver o passado com seu olho esquerdo e o futuro com seu olho direito.

Fe 
Vai Ganhar: Piper: Descobrindo o Mundo / Merece Ganhar: Piper: Descobrindo o Mundo

JP
Vai ganhar: Piper: Descobrindo o Mundo / Merece ganhar: Piper: Descobrindo o Mundo

Diante das inúmeros debates sobre racismo que vem acontecendo nos Estados Unidos e o tema estando em tamanha evidência, vejo três destaques nessa categoria: Eu Não Sou Seu Negro, O.J: Made in América e 13ª Emenda. O primeiro, narrado por Samuel L. Jackson, constrói uma reflexão sobre como é ser negro nos Estados Unidos. Já em O.J: Made in América, vemos a história do ex-jogador de futebol americano que foi acusado de matar sua ex-mulher, sendo inserido em sua narrativa temas como influência da mídia, lacunas do sistema legal e racismo. O último destaque fica com a 13ª Emenda, que traz o debate de como o sistema carcerário americano possui indícios com a escravidão.

Fe
Vai Ganhar: O.J: Made in América Merece Ganhar: Eu Não Sou Seu Negro

JP
Vai ganhar: O.J: Made in América Merece ganhar: 13ª Emenda

Quatro dos cinco documentários indicados tem como cenário a guerra. Em Joe’s Violin, acompanhamos a vida de um sobrevivente do Holocausto que tenta lidar com a perda da sua família através da música. Com The White Helmets conhecemos os esforços das equipes de resgate em socorrer civis em meio à guerra em Aleppo. Watani: My Homeland acompanhamos uma família de refugiados que tenta iniciar uma vida na Alemanha. 4.1 Miles vemos o trabalho de um capitão grego que salva refugiados que tentam cruzar o oceano vindo da Turquia. Por fim, Extremis, único curta que sai desta temática e conta a história de médicos que tomam decisões importantes no futuro de seus pacientes.

Fe
Vai Ganhar: The White Helmets Merece Ganhar: 4.1 Miles

JP
Vai ganhar:  Watani: My Homeland Merece ganhar: The White Helmets

O favorito é Enemies Within que aborda a questão do terrorismo argelino na França através de dois personagens: um homem que deseja a nacionalidade francesa, pois nasceu na Argélia enquanto ela era colônia da França; e um oficial que possui o poder de conceder seu desejo, mas que pressiona o argelino com uma série de questionamentos. Os outros quatro indicados na categoria são: La Femme et le TGV (Suiça), Silent Nights (Dinamarca), Sing (Hungria) e Timecode (Espanha).

Fe
Vai Ganhar: Enemies Within Merece Ganhar: Enemies Within

JP
Vai ganhar: Enemies Within / Merece ganhar: Enemies Within

Uma categoria interessante, mas que provavelmente será fácil saber quem leva.  Os roteiros este ano variam na qualidade por serem espertos, criativos, densos e principalmente tentam a todo momento instigar a mente do telespectador. Mulheres do Século 20, escrito por Mike Mills dos indicados é o que tem menos chances, porém O Lagosta escrito por Yorgos Lanthimos e Efthymis Flippou trás uma narrativa complexa e mirabolante que pode despertar o interesse dos membros da academia. Porém no final das contas os favoritos para levar o prêmio na categoria são: Damien Chazelle por La La Land, Tyler Sheridan por A Qualquer Custo e é claro Kenneth Lonergan por Manchester á Beira Mar. Apesar de La La Land ter um roteiro enxuto, possui uma estrutura bastante simples e nostálgica, que em contrapartida parece inferior a agilidade do western moderno escrito por Sheridan e o roteiro impecável, denso e espetacular de Lonergan que trata de um assunto delicado como luto sem cair na pieguice e consegue fazer um estudo de personagem bastante eficaz. Desta forma acredito que Kenneth Lonergan deve levar nesta categoria, apesar de que Sheridan aparece aqui com boas possibilidades.

JP
Vai ganhar: Kenneth Lonergan (Manchester á Beira Mar) Merece ganhar: Kenneth Lonergan (Manchester Á Beira Mar)

Fer: 
Vai ganhar: Kenneth Lonergan (Manchester Á Beira Mar) Merece ganhar: Yorgos Lanthimos, Efthymis Filippou (O Lagosta)

Ao contrário do roteiro original, a categoria de roteiro adaptado se resume a disputa entre dois grandes filmes, Moonlight e A Chegada. É claro que Lion escrito por Luke Davies, Estrelas Além do Tempo escrito por Theodore Melfi e Alison Schroeder, e Um Limite Entre Nós escrito por August Wilson tem seus méritos, mas possuem roteiros com uma estrutura mais simples, porém não são memoráveis. Neste quesito A Chegada é simplesmente brilhante, o roteiro adaptado do Eric Heisserer é minucioso em extrair a parte crucial do conto Story of Your Life (1999) de Ted Chiang de forma que a narrativa se torne bastante reflexiva em certos pontos, mas inteligente na hora de transmitir o ponto crucial da trama sobre o poder da comunicação, sem falar que o texto é tão bem escrito que acaba por ser base para a performance sensacional de Amy Adams. Com Moonlight, apesar de no início da temporada ter havido uma indecisão em qual categoria iria concorrer, pois este é uma adaptação da peça teatral “In Moonlight Black Boys Look Blue” que nunca veio ser encenada, a premiação se decidiu pela categoria “Melhor Roteiro Adaptado”, porém o longa faturou o WGA (associação dos roteiristas) por roteiro original em cima de Manchester á Beira e A Qualquer Custo, enquanto A Chegada faturou na categoria roteiro adaptado na mesma premiação. Pessoalmente, Moonlight deve levar o prêmio para casa, apesar de A Chegada ter bastante chances também.

Fe
Vai Ganhar: Barry Jenkins (Moonlight) Merece Ganhar: Barry Jenkins (Moonlight)

JP
Vai ganhar: Barry Jenkins (Moonlight) Merece ganhar: Barry Jenkins (Moonlight) ou Eric Heisserer (A Chegada)

Está aí uma categoria fácil de escolher, talvez seja a mais fácil junto com Atriz Coadjuvante e Melhor Trilha Sonora Original. Confesso que a única canção que não ouvi foi “The Empty Chair” do filme Jim: The James Foley Story, mas acredito que esta tem pouquíssimas chances de levar. Can’t Stop The Feeling interpretada por Justin Timberlake virou um hit ajudando a promover ainda mais o filme Trolls, desta forma se levasse seria uma grande surpresa, mas não tanto assim pois tocou exaustivamente no final do ano passado. How Far I’ll Go da animação Moana é uma canção belíssima, interpretada pela novata Auli’i Carvalho, dubladora da personagem título, ficaria feliz se a canção ganhasse, mas não temos aqui um hit no estilo “Let It Go” de Frozen e mesmo sendo Disney a concorrência está bastante forte para Lin-Manuel levar sua primeira estatueta dourada. Desta forma tudo se resume a La La Land, com duas canções Audition(The Fools Who Dream) e a excelente City of Stars, fica fácil saber quem vai levar aqui. Aposto em City of Stars, muito bem interpretada e extremamente bela, não há dúvidas que será a grande vencedora na categoria.

JP
Vai ganhar: “City of Stars” (La La Land) Merece ganhar: “City of Stars” (La La Land)

Fe
Vai ganhar:City of Stars” (La La Land) Merece ganhar: How Far I’ll Go (Moana)

Dentre os indicados La La Land é o que mais se destaca. A trilha sonora possui um toque retrô bem interessante, porém o mérito foi de Justin Hurwitz criar canções condizentes com o enredo do filme, mas que ao mesmo tempo possam ser ouvidas fora dele sem que afete sua melodia. Em Jackie temos uma trilha bem intimista que vai se regendo pelas emoções de sua protagonista. Moonlinght: Sob a Luz do Luar, utiliza da música clássica como um contraponto a dura jornada vivida por Chiron. Já Lion e Passengers trazem trilhas bonitas, mas que infelizmente não tem grande destaque na trama.

Fe
Vai Ganhar: Justin Hurwitz (La La Land)Merece Ganhar: Justin Hurwitz (La La Land)

JP
Vai ganhar: Justin Hurwitz (La La Land) Merece ganhar: Justin Hurwitz (La La Land)

Categoria difícil, pois há ótimos concorrentes. Em Moonlight, com tons de azul e púrpura - que remete ao luar - James Laxton consegue contextualizar as cores à trama, ou seja, conforme acompanhamos o desenvolvimento do personagem e suas angústias a palheta vai escurecendo, remetendo a escuridão em que o personagem se encontra. Já em La La Land,  Linus Sandberg usa tons variados, há momentos de explosões de cores que remetem há uma Hollywood mais lúdica/mágica e em outros momentos se utiliza tons mais áridos e neutros para remeter  a Los Angeles urbana, de concreto. No caso de A Chegada, a fotografia excelente de Bradford Young utiliza-se do talento do diretor Denis Villeneuve em fazer poderosas tomadas abertas para inserir um estilo grandioso e hipnotizante num cenário onde as naves alienígenas estão inseridas no cenário terrestre, conseguindo passar a sensação de deslumbramento e tensão numa escala grandiosa e sobrenaturalmente majestosa, ao mesmo tempo a fotografia consegue ser obscura e limpa nos cenários mais fechados.Com Greig Fraser, Lion, consegue transmitir dois mundos totalmente diferentes, abusando de uma palheta basicamente marrom para demonstrar uma Índia caótica e utilizando tons mais pastéis para indicar uma Austrália paradisíaca. Por fim, em Silêncio o tom predominante acinzentado e uma neblina predominante passam todo o peso da trama.

Fe
Vai Ganhar: Linus Sandberg (La La Land) Merece Ganhar: James Laxton (Moonlight)

JP
Vai ganhar: Linus Sandberg (La La Land) Merece ganhar: Bradford Young (A Chegada)

Está aí uma categoria fácil de opinar. Normalmente governada por blockbusters, a escolha aqui é a mais óbvia possível. Os efeitos de Doutor Estranho, Rogue One, Horizonte Profundo e Kubo são realmente estupendos, mas Mogli - O Menino Lobo é uma obra prima dos efeitos visuais, Jon Favreau criou toda uma tecnologia para gravar o longa sem utilizar animais reais, os efeitos são um marco para indústria do cinema e de longe é o que mais merece este Oscar.

Fe
Vai Ganhar: Doutor Estranho Merece Ganhar: Doutor Estranho

JP
Vai ganhar: Mogli - O Menino Lobo Merece ganhar: Mogli - O Menino Lobo

Dois nomes são os fortes concorrentes: Colleen Atwood e Madeline Fontaine, tendo ambas realizado trabalhos extraordinários. Em Animais Fantásticos e Onde Habitam, Atwood traz um vestuário riquíssimo em detalhes e que conversam com a personalidade de seus personagens. Já Madeline preza pela delicadeza e semelhança dos vestuários de Jacqueline Kennedy. Com relação à Aliados e Florence, ambos trazem figurinos bonitos porém nada espetacular. Por fim, o figurino de La La Land de Mary Zophres é bem contemporâneo e considerando o histórico da acadêmia essa é sempre mais tendenciosa por valorizar figurino de época.

Fe
Vai Ganhar: Colleen Atwood (Animais Fantásticos e Onde Habitam) Merece Ganhar: Colleen Atwood (Animais Fantásticos e Onde Habitam)

JP
Vai ganhar: Madeline Fontaine (Jackie) Merece Ganhar: Colleen Atwood (Animais Fantásticos e Onde Habitam)


Esta categoria técnica composta por três filmes, está isolada das demais categorias, ainda assim acho uma premiação importante por valorizar os profissionais de cabelo e maquiagem que praticamente transformam os atores para que os mesmos exerçam seu trabalho com a maior autenticidade possível. Um Homem Chamado Ove é a indicação com menos chance aqui, desta forma a disputa fica entre Esquadrão Suicida e Star Trek: Sem Fronteiras. Apesar do filme ser ruim, Esquadrão Suicida tem sim uma boa maquiagem, mas ao meu ver Star Trek leva esta categoria, seria o presente ideal para uma franquia de 50 anos de idade.

Fe
Vai Ganhar: Star Trek: Sem Fronteiras Merece Ganhar: Star Trek: Sem Fronteiras

JP
Vai ganhar: Star Trek: Sem Fronteiras Merece ganhar: Star Trek: Sem Fronteiras

A categoria de melhor montagem este ano tem boas indicações, porém ao que tudo indica teremos outra escolha mais óbvia com apenas um favorito. As montagens de A Qualquer Custo, Hacksaw Ridge e A Chegada são bastante sólidas, mas em termos de complexidade Moonlight e La La Land são favoritos, pois a montagem aqui é crucial para que estes filmes sejam contados de forma coesa. No entanto a vantagem vai para La La Land, pois a estrutura vibrante, milimétrica e eficaz de Tom Cross ainda é superior à dos concorrentes, desta forma pode cravar que esta será mais uma estatueta a ser entre ao longa.

Fe
Vai Ganhar: Tom Cross, La La Land Merece Ganhar: Tom Cross, La La Land

JP
Vai ganhar: Tom Cross, La La Land Merece ganhar: Tom Cross, La La Land

As categorias de som, assim como melhor montagem, estão mais direcionadas aos blockbusters, aqui em edição de som não é diferente. Uma breve explicação sobre a categoria, edição de som é todo aquele som que não existe no ambiente durante a filmagem, ele é produzido no estúdio depois usando o melhor da tecnologia sonora em criação de sons. Eu poderia dizer que La La Land seria a favorita na categoria, porém o longa de Mel Gibson ao meu ver é o verdadeiro favorito, Até O Último Homem consegue oferecer um apuro sonoro espetacular. Gosto bastante da edição de som de Horizonte Profundo e A Chegada, porém Sully: O Herói do Rio Hudson acho apenas bom. No final das contas a disputa ficará entre La La Land e Até O Último Homem.

Fe
Vai Ganhar: Até O Último Homem / Merece Ganhar: A Chegada

JP
Vai ganhar: Até O Último Homem Merece ganhar: Até O Último Homem ou La La Land

A categoria de mixagem de som é crucial para determinados longas, é onde o som captado no set através de microfones durante as filmagens é misturado com filme durante a montagem. Neste quesito, La La Land surge como favorito, ao contrário da categoria anterior, afinal a mixagem é parte fundamental principalmente se o filme for musical. O trabalho de mixagem de A Chegada, Rogue One e 13 Horas tem seus méritos, mas Até O Último Homem é um dos concorrentes que podem vencer La La Land na categoria.

Fe
Vai Ganhar: La La Land / Merece Ganhar: La La Land

JP
Vai ganhar: La La Land Merece ganhar: Até O Último Homem

Está aí uma categoria que podemos considerar nada menos do que deslumbrante, direção de arte é uma das provas que Hollywood sabe criar belos mundos, seja recriando algo que já existiu em outras épocas, seja criando design futuristas à partir de cenários pré existentes. Nesta categoria, La La Land outra vez surge como favorito, mas confesso que os cenários de Animais Fantásticos e Passageiros são criações deslumbrantes. A Chegada e Ave, César! tem seus méritos, mas nada que impressione muito. Aqui vejo La La Land levando a estatueta, mas se por um acaso surgir alguma surpresa, será por conta de Animais Fantástico, ou A Chegada.

Fe
Vai Ganhar: La La Land Merece Ganhar: Animais Fantástico e Onde Habitam

JP
Vai ganhar: La La Land Merece ganhar: Animais Fantástico e Onde Habitam

*Nota: Está matéria foi realizada em parceira com um editor convidado.

LEIA TAMBÉM