Swift

Desafio literário: todo mês uma meta diferente


Para 2017 funcionar melhor no âmbito literário, estou tentando estabelecer algumas estratégias e desafios que me ajudem a manter o ritmo de leitura mesmo quando estou muito cansado ou quando a vida está fazendo muita força para consumir as poucas horas de todo dia. Estava conversando com outros membros do blog e percebi que a vida adulta meio que rouba um pouquinho de nossos hábitos de leitura à medida que as responsabilidades se acumulam e que pouco espaço sobra para os mundos de fantasia. Digo isso, porque minhas metas de leitura na infância e na adolescência eram sempre muito maiores que o meu bolso regado à mesada podia acompanhar. Hoje em dia, a inversão é notável. Com o advento do kindle, com as promoções relâmpagos das lojas virtuais, com eu podendo lidar com minhas próprias economias no auge dos meus vinte e poucos anos, tem sempre muito mais livros na estante do que minhas condições de acompanhar o ritmo de leitura. Está sobrando livro. E isso é inadmissível. Se eu lia quinze livros por mês não muito tempo atrás, hoje em dia fico feliz se conseguir cumprir a meta dos dois.

Pensando nisso, preparei um desafio de leitura, com indicações e metas, mês a mês, tema por tema, para me ajudar a ler mais e a produzir mais conteúdo literário aqui para o blog. Se você também sentiu que a vida está roubando de você o tempo paras páginas e letrinhas de uma boa obra de ficção, cola com a gente e tenta seguir o ritmo. Vamos armar um pequeno grupo de leitura, capenga e cheio de limitações, mas uma iniciativa literária mesmo assim.

Começando de abril, todo mês vai ter resenha e discussão de livro aqui no blog. Todo mês será temático e vamos propor uma ou duas indicações para cada tema. Todas as indicações serão resenhadas ao longo daquele mês. Às vezes por mim. Outras vezes pelo Miguel. A Fernanda vai ajudar em alguns meses também. O importante é que a gente leia mais e tenha algum espaço para refletir sobre o texto também.

Abril de 2017 – um mês para os quadrinhos.


Para começar com uma leitura mais leve (em termos de texto, mas nem sempre de reflexão), o mês de abril será para o rico e diversificado universo das histórias em quadrinhos. Tire suas biografias desenhadas da estante, seus super-heróis e suas tirinhas e vem com a gente. Quem acompanha o blog há algum tempo deve saber que por aqui gostamos muito de super-heróis, mas só para variar fechamos as indicações desse mês com trabalhos nacionais que pouco tem a ver com as capas coloridas popularizadas pelos norte-americanos.

Valente – Vitor Cafaggi (o trabalho do Vitor Cafaggi com o Valente começou num blog pessoal, mas hoje os livros de tirinhas do autor já são publicados pela editora Panini. Na resenha, vamos tentar falar sobre todos ou pelo menos a maioria das coletâneas publicadas).


Maio de 2017 – um mês para ficção científica.


Para celebrar o mundo da inovação, dos universos paralelos e das viagens no tempo, propomos um clássico e um contemporâneo.



Junho de 2017 – um mês para revisitar o mundo clássico.


Uma pausa para uma linguagem mais rebuscada. Em junho, a proposta é dar uma chance a algum clássico que você tenha receio de encarar, seja pelas temáticas mais complexas, seja pela dificuldade de se identificar. Vai ver que se um livro sobreviveu há passagem do tempo por tantos e tantos anos é porque ele tem tudo para tocar de algum modo a sua vida.

Os Irmãos Karamázov – Dostoievski.


Julho de 2017 – um mês para fantasia.


O tema mais popular hoje em dia. Principalmente, para quem acompanha muita literatura infanto-juvenil.

A Descoberta das Bruxas, Sombra da Noite e O Livro da Vida – trilogia de fantasia com temática e estrutura mais adulta, escrita pela Deborah Harkness.

Um Tom Mais Escuro de Magia – V. E. Schwab.

Agosto de 2017 – um mês para o infanto-juvenil.


Meio que retoma o que não deu para encaixar no mês anterior. Há naturalmente muitos livros para o público infanto-juvenil que não recorrem aos mundos de fantasia, mas a abundância desse tema é notável, vamos ficar nele, portanto.

Os Garotos Corvos – Maggie Stiefvater.

O Conjurador: o Aprendiz – Matharu Taran.

Setembro de 2017 – outro mês para revisitar o mundo clássico.


Insistindo mais um pouquinho e dando mais uma chance aos grandes homens e mulheres que já morreram mas deixaram um mundo de grandes ideias em seu rastro.

O Conde de Monte Cristo – Alexandre Dumas.

Outubro de 2017 – um mês para o romance policial.


Histórias de assassinato e investigação se tornaram incrivelmente populares do fim do século XX para cá. O romance policial fez o nome de muitos autores contemporâneos, bem como o sucesso de séries procedurais na TV. Vamos deixar outubro um pouco mais vermelho, cheio de sangue, suspense e mistério.

Eu Mato – Girgio Faletti.

Vocação para o Mal – Robert Galbraith (terceiro livro da série de títulos policiais mais ou menos independentes entre si da autora J.K Rowling, sob seu famoso pseudônimo. Os livros anteriores da série são O Chamado do Cuco e O Bicho da Seda, que não necessariamente precisam ser lidos antes, mas é indicado mesmo assim).

Novembro de 2017 – um mês para o chicklit.


Menosprezado por alguns, venerado com um prazer culpado por outros, o chicklit, a literatura de banca, também chamada de literatura de mulherzinha (um caso típico onde a nomenclatura tende a menosprezar não só a obra mas também seu público), será o protagonista do mês de novembro. Sem receios nem constrangimentos, pode ler no ônibus e falar dessa história bobinha de amor romântico para os seus colegas. É literatura como qualquer outra. A gente se diverte e aprende a respeitar.

Anexos – Rainbow Row.

Dezembro de 2017 – um presente de Natal.

Escolha um livro para si mesmo! Ninguém acerta melhor seu presente de Natal que você (eu acho). Visite uma livraria, cheire os livros, passe os dedos pelas páginas e descubra alguma coisa nova, dê uma chance a um autor que você nunca ouviu falar ou que nunca teve interesse, dê uma nova chance a um autor cujo primeiro livro você detesta, leia e releia a orelha dos livros e decida por sua conta e risco que mundo você quer visitar a seguir.

Nota: o processo pode ser feito de forma virtual também. Menos romântico, mas definitivamente mais prático. A outra opção é visitar a livraria, escolher o livro com as próprias mãos, depois voltar para casa e caçar uma promoção na Amazon. Faço sempre.

Janeiro de 2018 – um mês para literatura nacional.


A gente nem sempre dá muita chance aos nossos. Tenho tentando remediar isso nos últimos anos, sem muito sucesso. No mês de janeiro, a gente tenta outra vez.

Mastigando Humanos – Santiago Nazarian.

O Legado Ranger Trilogia Completa – Raphael Draccon.

Fevereiro de 2018 – um mês para o drama histórico.


Gosto de cenários urbanos e contemporâneos, do mundo digital de nossos dias, das possibilidades narrativas de um celular e de um computador ligado à internet, de modo que só muito raramente me volto para os dramas históricos. É praticamente um erro de caráter. A recomendação de fevereiro traz um autor muito querido aqui no Brasil e traz também o seu livro mais famoso.

A Sombra do Vento – Carlos Ruiz Zafón.

Março de 2018 – um mês para você.

As resenhas do último mês do desafio serão sugeridas por vocês. Mais para frente a gente fala de novo sobre isso.

LEIA TAMBÉM