Swift

Primeiro Contato: Trial and Error


Recentemente produções como Making a Murder, American Crime Story, The Jinx, etc, vem ganhando cada vez mais popularidade entre os espectadores, ao explorar casos rodeados de mistério e que chocaram a sociedade por sua brutalidade, provocando o imaginário das pessoas. Logo, era de se esperar que alguém criasse uma sátira sobre tais programas. Diante disso, nasceu Trial and Error, nova série da NBC, que vem se tornando uma boa surpresa entre as estreias de 2017.

No estilo mockumentary, somos apresentados a Josh Segal (Nicholas D'Agosto), um advogado de Nova York, que é mandado pelo seu escritório a pequena cidade de East Peck para trabalhar em seu primeiro caso de destaque. Contudo, não será fácil para Segal defender seu cliente Larry Henderson (John Lithgrow), um excêntrico professor de poesia, acusado de assassinar a esposa que vira e mexe se envolve em situações comprometedoras - e engraçadas - fazendo com que qualquer um queira arrancar os cabelos de preocupação.


Ao longo dos episódios acompanhamos o processo da defesa sobre o caso, como também, somos apresentados a equipe que irá ajudar Josh - ou atrapalhá-lo, como em grande parte do tempo - nesta jornada. Formada pela recepcionista Anne (Sherri Shepherf), que possui inúmeras condições psicológicas, que vão de amnésia facial à crises de risos em situações inapropriadas; e por Dwayne Reed (Steven Boyer), o investigador redneck que sempre está a cinco passos atrás de toda a investigação, o grupo definitivamente não é o time perfeito, mas irá garantir boas risadas. 


No elenco, ainda podemos mencionar Krysta Rodriguez, que interpreta Summer, a filha adotiva de Larry, e Jayma Mays, que faz Carol Anne, promotora do caso e de longe um dos grandes destaques da série. Particularmente nunca tinha visto Jayma interpretando uma "vilã" e está se mostrando um grande ponto positivo - você simplesmente tem uma relação de amor e ódio com a personagem.

Outro ponto positivo da série é que roteiro consegue manter a dúvida se Larry está realmente mentindo ou dizendo a verdade. Cada episódio brinca com as expectativas do telespectador, na mesma hora em que todas as provas apontam para Larry no mesmo minuto estas podem se dissipar e trazer um novo fato a história, dando assim a chance de Josh e seu time se reestruturarem no jogo e vice e versa. Deixando o público ansioso para saber a verdade sobre os fatos.

Trial and Error, definitivamente não será aquela série em que você precisa analisar comportamentos ou camada dos personagens. Veja bem, não estou dizendo que não há um bom desenvolvimento de personagem ou de narrativa, apenas que é uma série simples que sabe o seu propósito e o cumpre muito bem. Leve, diverta e sim com algumas piadas e situações meio esperadas, a série trata assuntos sérios com bastante irreverência e de forma sagaz.


Não sei qual será o futuro da série, mas caso apostasse diria que suas chances de ser renovada são altas. Além da ótima química e atuação do elenco, está vem apresentando uma boa audiência o que mostra a aceitação do público pela divertida trama. 

Com uma nova temporada poderemos conhecer mais sobre estes intrigantes e estranhos moradores de East Peck. Além disso, os próprios criadores da série Jeff Astrof e Matt Miller, afirmaram que a produção será em forma de antologia, tendo cada temporada um novo caso para essa equipe nada convencional resolver.

LEIA TAMBÉM