Swift

Crítica: Piratas do Caribe - A Vingança de Salazar (sem spoiler)


Recentemente compareci à cabine de Piratas do Caribe - A Vingança de Salazar, que estreia dia 25 de maio nos cinemas. Confesso que até tentei fingir uma certa calma, mas estava super ansiosa. Quem é fã da franquia vai me entender, afinal são seis anos esperando por esse momento, então talvez tenha colocado muita expectativa sobre a produção e todos sabem o quão perigoso isso é para o coração.

Confesso que saí da sessão um pouco decepcionada, mas há pontos nesse filme que devem ser exaltados, então contarei um pouco o que vocês podem esperar deste quinto filme da franquia.

Primeiramente, devo dizer que nenhum outro filme da saga foi tão emocionante como esse. E não falo pela questão da ansiedade da fã aqui não, digo isso pela história tocante mesmo.

O filme já inicia com um tiro — que não vou contar para não perder a graça... ou o choro, no caso — e em menos de cinco minutos lá estava eu com os olhos cheios de lágrimas tentando conter a emoção para não passar vergonha. 

Além disso, somos rapidamente introduzidos à Henry, personagem do ator australiano Brenton Thwaites  que apresenta uma atuação mediana  sendo logo estabelecido o motivo do rapaz se juntar a Jack Sparrow, ou melhor, Capitão Jack Sparrow.


E por falar no nosso querido capitão, a primeira aparição de Jack faz jus ao personagem que já conhecemos e aprendemos a amar. Muita confusão e fugas fazem parte da vida do pirata, assim como, seu estilo exótico e sua garrafa de rum. Sparrow, logo aparece, trazendo todo o caos a trama, em uma cena eletrizante do jeito que nós gostamos, porém descobrimos que o personagem está mais do que nunca no fundo do poço: sem dinheiro, sem navio e sem tripulação. Seus únicos bens são a sua bússola e uma garrafa com um pequeno navio dentro (quem viu o quarto filme sabe do que estou falando). E ainda descobre que um grande inimigo, que lidera um exército de piratas fantasmas assassinos está à sua caça. E agora? Como Jack fará pra sair dessa maré de azar? Ele decide então ir à procura do Tridente de Poseidon, que dá ao seu possuidor o poder de dominar o mar, mas para isso ele se unirá ao corajoso Henry e a uma brilhante astrônoma a frente do seu tempo, Carina Smyth.

Carina é interpretada pela maravilhosa britânica-brasileira Kaya Scodelario, que está bem em seu papel, mas também não impressiona. Na parte mais emocionante do arco de sua personagem, a atriz não comoveu me fazendo até ter uma vaga lembrança de Kristen Stewart (me julguem, mas não me odeiem).

Outro ponto negativo do filme é o par romântico. Totalmente sem química, não espere por um romance envolvente que te fará vibrar. Faltou uma construção melhor, um clima, um arco envolvente... faltou romance! É isso, faltou romance no romance!


Por sua vez, sabemos que Johnny Depp, após dar vida a Jack Sparrow, nunca mais parou de interpretá-lo, então não há muito o que falar sobre sua atuação, exceto que senti este um pouco mais exagerado. Mas nada que fuja muito do que Jack é.

Definitivamente, o grande destaque neste quesito vai para Javier Bardem. O ator apresenta um personagem bem sombrio e que faz o espectador se sentir ameaçado por sua presença. 

Já em relação aos efeitos visuais, como esperado, não deixaram nada a desejar, com cenas de batalhas bastante eletrizantes e belas cenas no fundo do mar. 

Porém, a falta de ritmo da trama acaba comprometendo a produção, já que em certos momentos me deu sono devido ao excesso de cenas que, a meu ver, eram dispensáveis. E talvez se eu tivesse cochilado, não perderia nada de muito importante. 


Não obstante, como é de se esperar da Disney, Piratas do Caribe - A Vingança de Salazar é uma produção que tem qualidade, por conta de uma trilha sonora escolhida a dedo para guiar nossas emoções, efeitos visuais impecáveis e ótimas caracterizações. Fã que é fã, não vai perder a oportunidade de ver mais uma vez as aventuras do nosso atrapalhado capitão nas telonas, e vai até se emocionar, mas conselho de amiga, não espere nada muito próximo do primeiro filme, pois, como disse anteriormente, grandes expectativas fazem mal ao coração!

Agradecemos à Walt Disney Studios pela sessão de cabine de imprensa

LEIA TAMBÉM