Swift

Resenha: Paper Girls Vol.1


Finalmente tive tempo de conferir uma das HQs que consta na minha lista de leituras de 2017: Paper Girls volume 1. Confesso que gostaria de já ter resenhado a obra, mas a correria do dia-a-dia não permitiu. 

Altamente recomendada por amigos, a graphic novel escrita por Brian Vaughan e com arte de Cliff Chiang, foi um dos grandes destaques do ano passado, tendo ganhado o gosto do público, assim como dois prêmios Eisner - o Oscar dos quadrinhos - nas categorias Melhor Nova Série e Melhor Desenho/Cores. Diante de tantos fatores positivos, não consegui resistir e mergulhei nessa trama com vários elementos nostálgicos e muita ação.

Nossas quatro entregadoras.
Como disse anteriormente, a nostalgia está presente, o que é uma agradável surpresa, principalmente se você, caro tripulante, é uma criança dos anos 80 ou 90 (provavelmente você se lembrará de Stranger Things ou filmes como Conta Comigo). Contudo,  este definitivamente não é o fio condutor da história. Funcionando perfeitamente como uma ambientação, trazendo um conforto em nosso coração, de quem viveu naquela época, somos logo de cara apresentados as nossas quatro protagonistas: Mac, Erin, KJ e Tiff, quatro entregadoras de jornais que no dia seguinte ao do Halloween por acaso acabam se encontrando e resolvem realizar as entregas juntas para não encontrar, como dito por elas mesmas, "um monte de gente doida". No entanto, o que elas não esperavam é que uma simples madrugada de trabalho levaria a acontecimentos inimagináveis.

Com conceitos como viagem no tempo, arrebatamento, alusões a cultura pop e muita crítica social, encontramos um enredo que procura falar sobre os dramas da transição da infância para a adolescência. Vaughn consegue criar essa mescla de contextos e gêneros muito bem e de forma orgânica. Estamos iniciando uma aventura, e assim como o quarteto, ainda não nos conhecemos direito, porém o roteiro consegue criar uma empatia de cara por suas protagonistas, como também, distinguir cada uma de suas personalidades.

Os diálogos conseguem dar espaço para o desenvolvimento de cada uma delas, mesmo ainda estando no início da aventura, e ainda não sabermos com certa profundidade cada uma das personagens apresentadas, é possível traçar alguns de seus contornos. Em Mac, vemos a jovem rebelde, com claros problemas familiares, que assume a posição de líder do grupo. Em Erin, vemos uma menina sonhadora, mas que gosta de seguir regras e não se arriscar. Já KJ é a aficionada por tecnologia, enquanto Tiff é a amiga boa praça e apaziguadora de conflitos. Por óbvio, você já deve ter notado alguns esteriótipos mas não se engane, Vaughn consegue ir muito além disso, e mostrar personagens complexas que crescem muito já no primeiro volume desta série.


O mesmo posso dizer do enredo, ainda há mais questionamentos do que respostas, mas isso não é um fator negativo, pelo contrário, faz o leitor criar expectativa para os próximos passos da trama. Somos introduzidos há um cenário apocalíptico, com direito a pterodátilos gigantes, viajantes do futuro e um líder ao melhor estilo Dalai Lama, mas não fazemos ideia do que está ocorrendo. O que torna, na minha opinião, tudo mais divertido, provocando cada vez mais nossa curiosidade.

Além disso, a arte e as cores dessa HQ deixam tudo ainda mais perfeito, uma vez que Chiang consegue trazer uma variedade de cenários recheados de referências aos anos 80, que só melhoram com as cores vivas e em tom neon de Wilson, criando uma atmosfera perfeita para essa aventura sci-fi com toques de nostalgia. Outro fator interessante é a capacidade de Chiang de trazer as emoções distintas das protagonistas em cada pagina. Cada uma tem sua forma de olhar, de reagir a cada situação. A cada quadro vemos essa diversificação, fortalecendo ainda mais essa relação entre leitor e personagem.

No fim, só posso confirmar que fiquei extremamente satisfeita com Paper Girls, todos os elogios são merecidos e estou ansiosa para continuar a ler o desenrolar dessa história, assim como saber quais serão os passos desse quarteto feminino que já conquistou meu coração.




Dados técnicos do exemplar lido:
Título: Paper Girls volume 1
Autor:  Brian k. Vaughn

Arte: Cliff Chiang
Cores: Matt Wilson
Ano: 2016
Editora: Devir

Onde comprar: aqui
Custo: R$ 36,86

LEIA TAMBÉM