Swift

BTS: Um Fenômeno Global


Não é novidade, pelos menos para os leitores do blog, meu interesse pela cultura asiática, especialmente a coreana. Sempre que posso escrevo um texto sobre K-pop ou K-dramas. Contudo confesso que nem sempre estou a par das novidades ou dos grandes nomes do momento, sendo BTS ou Bangtan Sonyeondan um deles. 

Por ouvir K-pop há alguns bons anos, seria uma mentira dizer que nunca ouvi falar do grupo ou alguma de suas canções como, por exemplo, Fire ou Blood, Sweat and Tears, músicas que conquistaram grande visibilidade internacional. Mas para ser sincera, nunca tive muita curiosidade em procurar sobre o trabalho deste, além do que via em alguns vídeos e entre conversas de amigos. 

No entanto, cruzei o caminho de BTS quando este surgiu como sugestão de pauta para uma possível matéria. É realmente desafiador e confesso um pouco assustador escrever sobre um tema que você não tem conhecimento ou familiaridade. Contudo, decidi usar a oportunidade para conhecer um novo grupo e entender mais um pouco sobre esse fenômeno global pelo qual ele é responsável.
 bts GIF
Membros  (da esquerda para direita): V, Jin, Rap Monster, Jimin, Suga, J-Hope e Jungkook
Formado em 2013 pela empresa Big Hit Entertaiment, o septeto composto por V, Jin, Rap Monster, Jimin, Suga, J-Hope e Jungkook, hoje é considerado o maior artista influenciador em termos de redes sociais. Realmente é impressionante ver o grupo de uma pequena empresa ganhar proporções gigantescas e tamanho destaque, principalmente quando se está competindo com as maiores agências de entretenimento da Coréia do Sul — SM Entertainment, YG Entertainment e JYP Entertainment — de igual para igual. 

Durante minha pesquisa, encontrei números impressionantes, pois, convenhamos, o cenário musical, principalmente o pop, é extremamente competitivo e lotado. Porém BTS, um grupo sul-coreano, conseguiu conquistar um grande público e recordes até então inimagináveis para o gênero. Desde ser o primeiro grupo de K-pop a ter um álbum em primeiro lugar no chart de 'Álbuns Mundias da Billboard' até estar na lista das 25 pessoas mais influentes da internet da revista Times — sendo que somente quatro nomes da indústria da música entraram no ranking: Rihanna, Katy Perry, BTS e Chance The Rapper —, porém, considero que a culminação de tamanho sucesso e grande parte dos holofotes, principalmente da mídia ocidental, veio no Billboard Music Awards quando o grupo venceu na categoria Top Social Artist vencendo artistas de grande apelo comercial como Justin Bieber, Ariana Grande e Selena Gomez. Detalhe, o grupo venceu a categoria com cerca de 300 milhões de votos, em segundo lugar veio Justin Bieber com 23 milhões. Uma diferença esmagadora.

O MOTIVO DO SUCESSO

Definitivamente uma das perguntas que muitos fizeram após a premiação foram: Quem é BTS? ou Qual o motivo de tanto sucesso? Bem, confesso que também fiquei curiosa em entender o fascínio pelo grupo. Se você é novo no K-pop, as características marcantes do gênero são os MVs de extrema qualidade, coreografias de alta complexidade e canções com refrões chiclete. Contudo, tais caraterísticas não seriam um diferencial uma vez que são a estrutura base deste cenário musical. 

Diante disso, continuei minha pesquisa e graças ao YouTube e a alguns fãs bem dedicados, achei traduções de algumas músicas. Ali estava o diferencial, por mais que inúmeros grupos falem sobre amor, juventude ou se divertir até as últimas consequências, BTS eleva essa experiência tratando de situações pessoais e se utilizando de metáforas ou até mesmo temas que são considerados taboos na Coréia do Sul, como saúde mental. Se importando em dar destaque a juventude e os problemas vividos por ela, que o grupo conquistou uma legião de fãs.


"Uma sociedade construída sobre os ensinamentos de que os amigos são apenas para fingir"— letra de School of Tears

Sempre acreditei que a música é um condutor universal que quebra barreiras culturais. Uma boa canção é aquela que consegue extrair sentimento ou transmitir a mensagem para aquele que a ouve, independentemente da língua. Sendo esse o grande trunfo deste grupo, utilizando temas que afetaram minha adolescência e que ainda hoje são motivos de incertezas e dúvidas para tantos jovens. Procurando sair do genérico, BTS conseguiu unir o melhor do K-pop com questionamentos e letras inteligentes que asseguram que é normal se sentir perdido, diferente ou ser rebelde nesta fase da vida.

Diante de temas que retratam o que é vivido por tantos jovens, o grupo foi inteligente em utilizar das redes sociais para criar um vínculo entre artista e fã, ao mesmo tempo alcançando o público internacional. O nível de interação entre o grupo e seus fãs, intituladas A.R.M.Y (Adorable Representative M.C for Youth)é gigantesco. Desde de interações via Twitter e Facebook até um canal no Youtube completamente dedicado ao dia a dia do grupo, onde os membros tiram dúvidas dos fãs, filmam seu cotidiano ou trabalhos/apresentações, etc. Realmente é um conceito na qual poucos artistas se submetem a realizar devido a constante exposição. No entanto, foi a forma que BTS achou de quebrar aquele muro onde o artista é intocável, tornando seus fãs uma extensão do grupo, aqui BTS/A.R.M.Y são uma unidade. Dessa forma, o relacionamento entre o grupo e seus fãs se tornou mais próximo do que estamos acostumados a ver na indústria do entretenimento, a ponto deles terem uma fanbase tão forte, presente e conectada nas redes sociais como fora delas. 

Além disso, o fato da Big Hit ter conhecimento do grande apelo global do BTS, fez com que está colocasse legendas nos MVs do grupo para que assim as pessoas pudessem entender as letras e as mensagens das músicas. Essa inclusão é algo extremamente importante para um grupo tão globalizado. 

A INDÚSTRIA ESTÁ PRONTA PARA O BTS?

Não é de hoje que artistas coreanos tentam adentrar no mercado internacional. BOA, Wonder Girls e ate mesmo Rain já tentaram e falharam em conseguir o reconhecimento. Por óbvio, após a premiação todos querem saber se BTS seguirá uma carreira internacional.

Bem, primeiramente, a indústria tem que estar aberta isso. Mesmo com inúmeras entrevistas a canais ou revistas/sites de grande circulação no EUA, o preconceito ainda é muito grande e uma enorme barreira existe no sentido de representação de minorias na indústria do entretenimento. Angela  Killoren, chefe da filial americana da CJ E&M, grande empresa de marketing coreana, disse um vez que ainda existe stigmas relacionados a música pop e principalmente quando esta é em uma língua diferente.
 asian history month asian heritage month stereotype allen yee i'm not a stereotype GIF
Ainda é preciso se livrar de muitos esteriótipos 
Ela não está errada. A verdade é, por mais que tenham uma boa música, milhões de seguidores, turnês esgotadas ao redor do mundo — inclusive no Brasil —, a falta de representação asiática na indústria torna a situação bem complicada. 

Um exemplo disso, é o constante whitewashing em produções, como em Death Note. Para vocês terem uma noção uestudo da University of Southern California pesquisou a discrepância de representações em 700 filmes lançados entre 2007 e 2014 e descobriu que apenas 5,3% dos personagens eram asiáticos. Isso mostra a falta de diversidade dentro da indústria do entretenimento no geral.

Lendo uma entrevista deles sobre as chances de lançarem uma carreira nos EUA, um dos membros respondeu que invés de se reinventarem e entrarem nos "moldes" impostos, continuarão a realizar aquilo que os tornaram famosos, músicas que conversam com seu público. E sim, em coreano. Confesso que fiquei extremamente feliz com a resposta, talvez esse seja o verdadeiro caminho para conquistar o devido espaço, não se moldar ao que a maioria conhece, mas sendo "diferente" para o grande público é que BTS pode ser o percursor em quebrar essa barreira. Até porque sabemos que eles são Extra + Ordinary, não é verdade A.R.M.Y?

Confesso que o texto ficou grande e cumprimento aqueles que chegaram ao final. É um tema um pouco diferente do que escrevemos no blog, mas sempre estamos condicionados a termos os mesmos gostos e rotinas e as vezes deixamos conhecer algo diferente. Essa matéria me trouxe essa experiência e acabei conhecendo um grupo que passaria batido na minha vida. Boa música sempre é válida, independente do idioma.

LEIA TAMBÉM