Swift

Resenha: Buried - Os últimos dias da humanidade


Hoje irei resenhar a HQ Buried, do Raphael Duarte, roteirista e colorista de Brasília com experiência de trabalho em freelancer de HQs indies americanas.

A premissa é que a humanidade conseguiu dizimar a sua própria raça quase por completo, por conta da guerra. E por causa das bombas que foram explodidas, a radiação que não matou os humanos, os deixou inférteis. Me lembra muito uma mistura de Mad Max com X-Men.

Alguns grupos de pessoas continuaram a tentar viver de forma digna, mas outros, chamados de Saqueadores, caçam os sobreviventes, para roubá-los, matá-los, e escravizar os que sobram.


O que nos leva ao Buried, um homem que na época das explosões ainda estava na barriga da sua mãe, e por conta da radiação deu “poderes” a ele, pois modificou seus genes, não só dele, mas de todos os bebês que ainda estavam para nascer na época.

Nessa primeira edição, serão quatro ao todo, nos mostrando mais a introdução do mundo, do protagonista e do que será a grande história da saga.

Nos encontramos Buried, um homem marcado pela sina de ser uma aberração, mas que faz de tudo para ajudar seu grupo, e por isso sempre tem que lidar com os Saqueadores e a morte.


De tudo que vi e li, a única coisa que achei um pouco forçada foi o relacionamento amoroso do protagonista com uma personagem que aparece no decorrer da história. Foi muito rápido e repentino.

No mais, a HQ traz uma premissa muito legal, e que tem tudo para se desenvolver de maneira a se tornar mais interessante. Você pode adquirir a primeira aqui, em versão digital. Agora estamos aguardando as próximas edições para ver o rumo que a história vai tomar.


LEIA TAMBÉM