Swift

Resenha: Os Poucos & Amaldiçoados


Finalmente vou resenhar uma HQ que adquiri ano passado, na Comic Con Experience 2016, e só tive oportunidade de ler no começo deste ano. Conhecida no ramo dos quadrinhos nacionais, Os Poucos e Amaldiçoados (ou The Few and Cursed), surgiu no final de 2015, pelas mãos de Felipe Cagno e Fabiano Neves, através do site de financiamento coletivo Catarse. 

Dividida em seis edições — duas das quais já se encontram publicadas e que serão temas dessa resenha —, a série se passa em um futuro pós-apocalíptico onde 90% da água da Terra desapareceu misteriosamente em 1840, causando graves danos ao planeta e aos seus habitantes. Agora, setenta anos após o ocorrido, com uma humanidade já acostumada à escassez e presa no século XIX, devido à falta de tecnologia e progresso, homens e mulheres apelam ao sobrenatural para sobreviver.

Contudo, desenterrar antigas maldições é o mesmo que abrir uma porta para o desconhecido, podendo causar mais danos que imaginamos. Dentro deste contexto, somos apresentados à Ruiva, uma caçadora de maldições, que vaga por este mundo seco em busca de sua própria sobrevivência. 

Prazer, Ruiva!
Sem perder tempo, a série trata de estabelecer nas primeiras páginas o quão bad-ass esta é. Destemida, fria, um tanto debochada e com uma mira certeira, vemos uma protagonista feminina forte, complexa e que inspira curiosidade. Sendo sua função não apenas de ser a heroína da história, mas a condutora da narrativa e dos mistérios que a permeiam. Dentre eles, Os Corvos de Mana 'Olana, que será o grande gancho de toda trama. 

Apesar das duas primeiras edições não terem informações suficientes sobre estes seres sobrenaturais, é visível que eles serão os grandes antagonistas. Mais uma vez sem soltar muitas informações, o roteiro aos poucos vai preparando este mundo que beira a realidade com o sobrenatural, como também, deixa o leitor instigado a solucionar seus mistérios.

A arte de Fabiano Neves e as cores de Dinei Ribeiro e Ivan Nunes enriquecem esse mundo misterioso
Tal inserção não seria perfeita sem a arte de Fabiano Neves e as cores de Dinei Ribeiro e Ivan Nunes, que transmitem esse mundo árido, perdido e desolado com perfeição. Com cenários que só enriquecem a história — e que muitas vezes me lembraram filmes como Mad Max e Era Uma Vez no Oeste. Poucos e Amaldiçoados é uma HQ feita para ser saboreada aos poucos, que preza pelos pequenos detalhes e o mundo em que é ambientada.

Por falar em mundo, foi recentemente encerrada uma campanha no próprio Catarse, para a expansão deste universo. Intitulada As Crônicas de Few and Cursed, pretende apresentar uma coletânea de curtas histórias, onde serão apresentados novos personagens, mas também outras regiões, como Pérsia, Austrália e Egito, que irão integrar a série principal. Além de trazer nomes de peso em sua produção, como Luke Ross, José Luis, Pedro Mauro, Andrew Dalhouse, entre outros. Planejando contar sete histórias de sete páginas cada, a edição terá no mínimo 64 páginas de puro aprofundamento no universo de Os Poucos e Amaldiçoados.

Com crônicas teremos uma visão ainda mais abrangente do universo apresentado
Por fim, só posso dizer que estou curiosa com o futuro desta série e que definitivamente irei acompanhar o final da saga da Ruiva. Caso você tenha ficado interessado, você pode adquirir tanto a primeira e a segunda parte aqui. Espero que tenham gostado desta resenha e até a próxima 😉


LEIA TAMBÉM