Swift

Resenha: Para depois que eu partir


Hoje trago para vocês a resenha de um dos três livros que recebemos no evento da Universo dos Livros, durante a Bienal. Como estamos no Outubro Rosa, não havia escolha melhor do que “Para depois que eu partir”. Quer entender o porquê? Continue me acompanhando!

Para depois que eu partir nos traz a história real de Heather, uma mãe de 33 anos, casada com um ótimo marido, mas que um dia descobre um caroço em seus seios.
Heather corre para o médico, diante da descoberta, mas ao término dos exames, descobre que está com câncer e que ele já se espalhou muito. Agora, sua estimativa de vida diminui drasticamente, se somando em no máximo dois anos.

“Por mais que eu odeie o câncer com cada célula do meu corpo que ele ainda não matou, a doença tem me ensinado o valor da vida, do riso e de amar cada segundo que eu ainda tenho, antes que este passeio de montanha-russa acabe por completo.”

Como ela não iria poder participar do crescimento da sua filha, decide então escrever algumas mensagens motivacionais e comemorativas para que Brianna possa sentir um pouco do seu amor e carinho ao longo de sua jornada.
No início de cada capítulo sempre vemos essas lindas mensagens, e eu vou mostrar alguns deles, antes de falar um pouco de sua trajetória. 

APOSENTADORIA

“Eu me aposentei porque o câncer me forçou a fazer isso. Espero que vocês se aposente sob circunstâncias melhores. Aproveite pra caramba a vida. Busque a sua felicidade, aprecie cada dia, e ria de todos os trouxas que ainda tem de ir trabalhar. E eu espero que seus colegas de trabalho lhe deem uma ótima festa.”

— Para a aposentadoria de Brianna, daqui a (vamos torcer!) 50 ou 60 anos.

SOBRE DIRIGIR 

“Você estava com 3 aninhos quando começou a nos dizer que tinha vontade de dirigir. E agora finalmente conseguiu. Mas isso vai ser assustador para o seu pai; então, pega leve com ele.”

— Quando Brianna conseguir sua carteira de habilitação para motorista.

DIA DIFÍCIL

“Seu pai e eu encontramos formas de rir, até mesmo nos piores dias possíveis. Há muitas coisas em relação a lidar com o câncer que são pra lá de ridículas... Se eu não risse bastante, teria enlouquecido. Acredite em mim quando digo que, mesmo que não esteja no clima para rir agora, você o fará novamente algum dia em breve. Viva, ria, ame. Jamais queira protelar esse astral."

— Quando Brianna estiver tendo um dia difícil.


IDADE ADULTA

“Se você quer fazer alguma coisa, faça-a agora. Você pode ser devorada por um urso amanhã. Não existe momento perfeito para fazer o que quer que seja na vida. Não há razão para esperar. Vá e faça."

— Encorajamento na idade adulta.


ESPERANÇA


“Às vezes, vai parecer que as coisas não estão bem nem nunca ficarão, mas o próprio fato de você estar aqui para vivenciar essas coisas que não estão bem é o bastante para se apegar a um pouquinho de esperança. Às vezes, coisas ruins acabam terminando muito bem no fim das contas. Em meio a toda a merda com que tive de lidar, sempre encontrei raiozinhos de esperança. Leve o tempo que precisar para encontrá-los."

— Um cartão de esperança.

A história de Heather é inspiradora! A maneira como ela escolheu lidar com o câncer, nos faz pensar em como nossos problemas podem ser pequenos se comparado ao sofrimento da personagem. No decorrer do livro ela conta um pouco sobre a relação de seu marido, Jeff, com sua filha, Brianna. Heather conta que, a princípio, Jeff parecia não ter o menor jeito com crianças, mas assim que ele pegou sua filha no colo, mostrou que nasceu para ser pai. Então ela tinha certeza que ele se sairia muito bem cuidando de sua filha sozinho.

Seu relacionamento com Jeff é descrito por ela como "perfeito". Eles ficaram  fisicamente separados pouquíssimas vezes na vida, então pensar que a morte irá separá-los definitivamente é muito difícil. Como ela descreve, a doença foi a única imperfeição de seu relacionamento. 

Durante o livro, vamos conhecendo um pouco do tempo restante de Heather e como ela enfrentou o tratamento médico. Mesmo o câncer sendo algo cruel, ela conseguiu aproveitar seus últimos dias enxergando a vida como ainda não tinha enxergado antes. E uma das mensagens que ela deixa para sua filha e para nós é: Viva! Quantas vezes estamos vivendo uma rotina cheia de preocupações, frustrações, correrias e não nos permitimos viver alegrias, pessoas maravilhosas, lugares incríveis, risos...Independente de quanto tempo temos de vida, seja uma semana, dois anos, cinquenta anos, enfim, permita-se viver!

A mensagem de Heather não só inspirou a vida da filha, como vem inspirando vidas ao redor do mundo. Ao pegar o livro pensei que seria um daqueles dramas para se desmanchar de tanto choro, porém me surpreendi até rindo em muitas partes com o bom humor de Heather. Indico o livro para todos, principalmente aqueles que estão precisando de um ânimo para enfrentar a vida. E lembre-se o riso torna tudo muito mais fácil!

Título: Para depois que eu partir
Autor: Heather McManamy, William Croyle 
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 182

LEIA TAMBÉM