Swift

Crítica: Gosto Se Discute (sem spoilers)


Hoje, dia 9 de novembro, estreia ‘Gosto Se Discute’ estrelado por Cássio Gabus Mendes e Kéfera Buchmann, o filme acompanha a trajetória de Augusto (Cássio Gabus Mendes) um chef de um restaurante requintado, estabelecido há anos, mas que parou no tempo, devido esse motivo sua freguesia buscou algo diferente e isso os levou a frequentar o food truck do Patrick (Gabriel Godoy) que se estabeleceu em frente ao restaurante de Augusto. Devido à situação, o banco que também é sócio do restaurante, indica a auditora Cristina (Kéfera Buchmann) para ser a nova gerente. Ela de imediato bate de frente com Augusto, já que deseja alterar a rotina do local de forma a torná-lo rentável. Só que, em meio à pressão em criar um novo cardápio, Augusto passa a ter uma rara síndrome que faz com que perca o paladar.

O filme traz uma ideia e uma história nova, nunca contada antes, mas será que ele foi temperado com os ingredientes certos e na quantidade certa?


O roteiro surgiu de várias ideias e situações cotidianas do diretor e também roteirista André Pellenz (Minha Mãe É Uma Peça) que apesar do potencial dramático ele não foi bem executado. O grande empecilho que seria o orçamento baixo, não foi o causador de um filme desinteressante. Pelo contrário, é de se admirar como a produção conseguiu realizar tudo sem deixar a desejar.




Com um grande elenco, o destaque fica para os coadjuvantes que mesmo sendo personagens estereotipados e aparecendo uma vez ou outra com diálogos clichês, conseguem segurar todo o filme.

Cássio Gobus Mendes cumpre o seu papel, mas o grande marketing é a própria Kéfera, a Youtuber, queridinha de 10 milhões de fãs, infelizmente deixa a desejar com uma atuação forçada e teatral no seu primeiro papel com uma personagem madura. Também observamos que a personagem Cristina não está bem definida no roteiro. Aos mesmo tempo que ela é durona e rigorosa, ela aparece tranquila e compreensível. Algo que teria que ser uma mudança linear, acaba transparecendo uma bipolaridade.

Na coletiva de imprensa, o diretor comentou sobre os protagonistas Augusto e Cristina e sobre como eles representavam o velho e o novo. Coisa que só reparei quando isso foi dito. No filme, apesar dos vários detalhes colocados na história, como o uso de notebook, câmeras e microfones escondidos implantados por Cristina, esse ponto não está tão explicito como no filme Chocante, por exemplo. Parece tudo parte do trabalho de Cristina. Podemos levar isso como uma desculpa para o romance forçado entre eles, mas a real é que Kéfera e Cássio não passaram química nenhuma em tela.

Gosto Se Discute é um prato cheio, com vários ingredientes, mas que não sacia a fome do espectador.

LEIA TAMBÉM