Swift

Você precisa assistir Crazy Ex-Girlfriend



Na primeira vez que ouvi falar sobre a série Crazy Ex-Girlfriend, me lembro que pensei "nossa, uma série com um nome desses deve ser bem ruinzinha", e com esse pensamento nem dei muita bola e a deixei lá no fim da lista de séries a serem assistidas. Se eu pudesse voltar no tempo, com certeza daria um tapa na minha própria cara e diria "menina, comece a assistir agora!" 

Criada por Rachel Bloom e Aline Brosh McKenna, Crazy Ex-Girlfriend acompanha a vida de Rebecca Bunch (Rachel Bloom) uma jovem advogada que resolve largar sua carreira e sua vida confortável em Nova Iorque, para ir atrás de um antigo amor em West Covina. Talvez você deva estar pensando agora "nossa, que sinopse mais boba e romântica", não vou te julgar, eu também pensei isso, mas não se engane, essa série é muito mais do que uma "comédia romântica". 

Quando digo que é muito mais do que uma comédia romântica, me refiro ao fato de que essa série entende que sua sinopse passa essa visão, e tira sarro disso. É tudo tão teatral e intenso, que dá pra perceber que há uma sátira ali, ou melhor há uma crítica. O texto é tão inteligente e brilhante, que consegue nos fazer refletir em cada tirada, principalmente nas letras das músicas, que são as melhores coisas da série. 

Ah, mas como assim músicas? Bom, então, Crazy Ex-Girlfriend é uma série musical. Nossa protagonista imagina números musicais nas mais variadas situações, é como se fosse uma maneira de fugir da realidade para ela, e as músicas são sempre sensacionais e conseguem transmitir toda a confusão de sentimentos que reinam na vida de Rebecca.


Outro ponto muito positivo em Crazy Ex-Girlfriend, são os personagens. A série é uma verdadeira vitrine das mais variadas personalidades, e juro que dá vontade de abraçar todos eles e protegê-los de todo o mal do mundo, talvez eu só não queira abraçar e proteger o Josh (Vicent Rodriguez III) alvo do amor louco de Rebecca, que na maioria das vezes é imaturo demais e toma umas decisões que fica difícil de defender, mas deixando isso de lado, todos são personagens fáceis de ganhar o nosso amor.


Além de trazer personagens muito amáveis, a série também faz um ótimo trabalho ao lidar com assuntos sérios de uma maneira leve, mas que ao mesmo tempo consegue dar a importância necessária para essas questões. Como por exemplo, o fato de que Rebecca possui alguns transtornos mentais, isso fica bem nítido em suas ações, mas ao invés de focar nas coisas ruins o que faria a série ter um tom mais depressivo, Crazy Ex-Girlfriend opta por trilhar um caminho mais voltado para a comédia, e isso torna a experiência de acompanhar a vida de Rebecca, muito mais agradável. Claro que em alguns momentos a série fica mais séria ao lidar com essas questões, mas como eu já mencionei anteriormente, tudo isso é feito de uma maneira muito leve e agradável. 

Todos esses pontos positivos garantiram a atriz Rachel Bloom, duas indicações ao Globo de Ouro por sua performance impecável como Rebecca Bunch, e felizmente a atriz conseguiu ganhar o prêmio na categoria de "Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical" no ano de 2016. Mas apesar de ter esse reconhecimento, infelizmente a série não consegue manter bons números de audiência, e a cada fim de temporada é um sofrimento para saber se teremos uma próxima temporada confirmada.


Tirando o fato de que os números não são lá muito bons, a série vale muito a pena de ser assistida, pois é um pacote completo, com ótimas atuações, um texto brilhante, e claro, muitos momentos divertidos. Atualmente Crazy Ex-Girlfriend está em sua terceira temporada, e as duas primeiras já estão disponíveis na Netflix, então não perca tempo e confira essa delícia em forma de série! 

LEIA TAMBÉM