Swift

Crítica: O Poder e o Impossível (sem spoilers)


Filmes baseados em fatos sempre chamam a atenção do publico. Seja para saber como o personagem sobreviveu, morreu ou o que levou para aquele ocorrido em sua vida, mas o longa de Josh Hartnett, O Poder e o Impossível, é um que não funciona como entretenimento, mas sim como uma grande viagem de auto ajuda e campanha motivacional.

Acompanhamos a história de Eric LeMarque (Josh Hartnett), um jovem que nos últimos meses acaba se perdendo totalmente o rumo de sua vida. Após largar sua carreira no Hóquei, se afundar nas drogas e se afastar de sua mãe, Eric vive sempre aos pés da montanha, criando essa rotina para tentar se curar de seu vício. 

Tudo ocorreu em um dia normal; ao acordar fez seus exercícios matinais, tomou café e subiu para a montanha, mas após chegar ao topo e sofrer durante a descida acaba ficando preso na neve e precisa, criativamente, sobreviver até a chegada do resgate.


Baseado no livro Crystal Clear de Eric LeMarque e Davin Seay, a obra funciona muito bem como uma história motivacional, mas sua representação no cinema acaba deixando muito a desejar. As coisas acontecem de forma muito corrida, não dando tempo o suficiente para nos importarmos com o personagem. 

Constantemente são usados flashbacks para entendermos o background do protagonista, sendo este o meio para justificar as cobranças do pai e parte de seu vício desenvolvido na fase adulta. Contudo tudo é jogado ao público, não havendo uma construção orgânica de seu arco e, consequentemente, criando um paralelo forçado entre as lembranças de Eric e sua atual situação.

A personagem de Mira Sorvino, que vive a mãe de Eric, vira uma total secundária, não tendo essa o peso necessário a trama, aparecendo apenas em momentos clichês com a intenção de tentar emocionar.

De forma resumida, O Poder e o Impossível poderia ter se tornado o novo 127 horas. No entanto seu roteiro mal estruturado traz um conjunto de clichês, o que acaba trazendo nenhum tipo de emoção ao público a não ser tédio ao final da sessão.



LEIA TAMBÉM