Swift

Altered Carbon - a nova série original Netflix (sem spoilers)


A Netflix lacrou em mais uma produção sim ou com certeza?

Altered Carbon é a nova série original Netflix que foi baseada no livro de mesmo título do autor Richard K. Morgan. A história se passa em um futuro, onde a consciência de uma pessoa é armazenada em um dispositivo e pode ser transferida para outra “capa” (corpo) fazendo com possamos viver uma vida eterna. 

Em dez episódios com duração de 50 minutos/1 hora, acompanhamos a trajetória do mercenário Takeshi Kovacs (Joel Kinnaman), ou apenas Tak, que acorda após 250 anos em outra "capa". Tak é o único soldado sobrevivente de um grupo de guerreiros interestelares de elite que foram derrotados em uma revolta contra a nova ordem mundial. Sua mente foi presa (congelada) durante séculos até Laurens Bancroft (James Purefoy), um homem muito rico e de longa duração, oferece a Kovacs a oportunidade de viver de novo. Em troca, Kovacs deve descobrir o autor do assassinato de Bancroft.


Enquanto acompanhamos as investigações de Tak, somos apresentados a outros personagens e aos poucos conhecendo a história de cada um - a maioria deles ganham o nosso coração. Um dos meus preferidos é o Poe, uma inteligência artificial gerente do hotel O Corvo. Pegou a referência descarada do autor Edgar Allan Poe? O elenco feminino também é um show à parte! Algumas até vão parecer frágeis, mas não se enganem. Elas vão levar porrada, mas vão bater o dobro! 

Além do visual cyberpunk, linguajar afiado e nudez em excesso, Altered Carbon tem uma narrativa complexa e séria. Não estamos diante de uma adaptação de um livro young adult. Se não me engano é contraindicado para menores de 18 anos.

O roteiro aponta inúmeras críticas sociais, uma delas é a questão polêmica que envolve a fé e a ciência. Alguns personagens são religiosos que não aceitam a forma como “burlaram” a morte e creem que o corpo é só um, sendo a troca de “capa” um pecado diante dos olhos de Deus. A personagem que mais vai debater de frente com esta questão é Kristen Ortega (Martha Higareda), uma detetive mexicana que vem de uma família cristã.


E para fechar o combo de perfeição, a fotografia não poderia deixar a desejar, certo? Assim como várias outras produções da Netflix (para não dizer todas), a fotografia é sempre um ponto muito forte, que além de utilizar planos e efeitos que já são padrão na indústria, eles também se arriscam a inovar. Em Altered Carbon, além de diversas referências fotográficas de filmes como Blade Runner, O Quinto Elemento, entre outros sucessos do mesmo gênero, a série nos traz um visual de encher os olhos com filtros (que você até encontra em app para fotos) que até agora ninguém tinha se atrevido a usar. Sem dúvidas isso vai virar referências em futuras produções.

Eu não li o livro (quero ler agora), mas esta era uma série que eu estava ansiosa para assistir, e posso dizer sem medo que eu não esperava que fosse tão boa. Os acontecimentos são gradativos, ficando melhor a cada episódio - segura o coração do sexto episódio para frente! Com certeza, já entrou para a minha lista de séries preferidas.

Altered Carbon estreia na mãe Netflix dia 2 de fevereiro e vocês não podem deixar de maratonar.


LEIA TAMBÉM