Swift

A Representatividade de Super-Heróis Negros


Pantera Negra chegou há pouco nos cinemas e trouxe uma excelente adaptação das HQs para o MCU, porém, mais do que um simples bom filme de super-herói, Pantera Negra reascendeu a chama da representatividade, e é um pouquinho sobre isso que vamos falar na transmissão de hoje.

Quando eu era criança, achava interessante ver o John Stewart na tropa dos Lanternas. Ou o Super Choque voando naquele disco metálico, que eu sempre assistia antes do almoço. Luke Cage, durão, sempre acompanhando o Iron Fist que eu gosto tanto. E a Tempestade, uma das mutantes mais fortes que conheço, e também o T’Challa. E o que há de comum entre eles? Todos super-heróis negros.


Eu já ouvi, diversas vezes, que crianças não precisam de representatividade, ou então que a representatividade de que as crianças precisam, são apenas dos pais.

Quando Pantera Negra trouxe esse assunto novamente à tona, muita gente criou polêmica sobre essa representatividade, como se fosse algo desnecessário no foco do filme e que a falta disso não seria um problema. Bom, eu discordo, mas também digo porquê.

Eu acredito que representatividade é muito importante, sim, e digo mais, em qualquer idade. Eu não sou negro, e quando era criança, um super-herói branco era meu ideal a seguir — até hoje eu sou fã, doente, do Cap — e naquela época eu não pensava em como os super-heróis negros, que citei acima, poderiam também ser grandes ideais para outras crianças que fossem negras.

Eu facilmente "me encontrava", porque a maioria dos personagens e super-heróis são brancos, afinal, e a etnia deles não era nada grandioso para mim. Eu sabia o que era representatividade, me sentia representado, mas não entendia a verdadeira importância de seu significado.

Imagina só, uma criança negra ver o Thor tão poderoso, ou um símbolo tão grande como o Capitão América, alguém tão forte como o Superman, tão combatente como o Batman... mas também perceber que um cara negro do gueto poderia ser muito forte e à prova de balas! E que um personagem que não tinha mãe, poderia ser um super-herói que também precisava lidar com seus medos. Que uma personagem negra pode ser uma deusa do clima e que o príncipe de um reino como Wakanda, respeitado, justo, com toda aquela tecnologia... também é negro! Isso é representatividade da pesada.


Mas isso não era importante, certo? Então eu questiono... a gente cresce né? E lembra daquela representatividade para as crianças? Então, eu tenho certeza que os super-heróis possuem muito mais importância heroica para o mundo das crianças do que para a rotina adulta. Quando esses personagens se mostram ícones que servem de espelho para elas, as coisas se tornam menos difíceis para o mundo frágil da infância.

Crianças que se sentem representadas se tornam mais corajosas e confiantes, sonham mais, e se tornam adultos que têm muito mais disposição e coragem para lutar em conquistas desses sonhos. Super-heróis negros fazem com que crianças negras também se permitam sonhar e lutar por isso.


E aí quando nos tornamos adultos, outras coisas passam a afetar nosso mundo próprio, então além de super-heróis, passamos a buscar a nós mesmos em outros tantos ícones, mas nunca deixamos isso de lado. É certo que muitos não percebem o quanto isso é necessário e o quanto isso nos acompanha durante a vida, mas todos temos nossos ideais. E é certo que mesmo na vida adulta, ver um T'Challa nas telonas, aquece o coração de quem precisa travar lutas cotidianas por um lugar ao sol, em meio a uma sociedade tão difícil e problemática em relação à questão racial, ou seja, para para quem vem sido representado durante a vida toda, isso talvez tenha passado despercebido, mas para aqueles que não são a maioria, isso faz toda a diferença. A inclusão é o primeiro passo para uma sociedade mais igualitária.

Então é importante, sim! Ter um Miles Morales como um Homem-Aranha muito forte. É importante, sim! Ter uma Ororo tão poderosa. É importante, sim! Ter uma Riri tão inteligente! É importante, sim! Inserir esses personagens nas vidas das crianças e também trazê-los para a vida adulta. Não somente os negros, mas todos os que representam de alguma maneira aqueles que carecem de incentivo. Porque super-heróis são ideais que nos mostram que as coisas podem dar certo. E quando nos enxergamos nesses personagens tão fortes, ganhamos muito mais disposição para enfrentar nossos próprios vilões. #WakandaForever

LEIA TAMBÉM