Swift

Crítica | Covil de Ladrões (sem spoiler)



Tendo estreado semana passada nos cinemas, Covil de Ladrões não traz novidades. Estrelado por Gerard Butler e 50 Cent, o filme possui um roteiro simples e boas cenas de ação, conseguindo cumprir parcialmente seu objetivo de entreter o público. 

Diante de um roteiro genérico, não é surpresa que muitos tenham comparado o longa com Fogo Contra Fogo (1995) - clássico estrelado por Robert DeNiro e Al Pacino - ou até mesmo Onze Homens e Um Segredo (2001). Posso ver as similaridades no decorrer da narrativa, mas vejo o filme como uma produção do gênero policial dos anos 80/90.

Ambientada em Los Angeles - permeada por uma violenta onda de assaltos a banco - a trama não perde tempo em situar o fator desencadeador de toda problemática: É noite, o segurança do carro forte interrompe momentaneamente seu trajeto para comprar um café, um grupo mascarado assalta o veículo, há vítimas e a polícia chega ao local.


Encarregado de solucionar o crime, o xerife 'Big Nick' O'Brien (Butler) reúne sua equipe e parte em uma caçada para impedir os infratores de realizar novos crimes. Seguindo a regra de que "os fins justificam os meios", o roteiro apresenta todo o lado corrupto da polícia e como os oficiais da lei não estão tão dentro desta. 

Em contrapartida, a gangue liderada Rey Merrimen (Pablo Schreiber) e Enson Levoux (50Cent) possui mais ética do que os próprios policiais. Sem querer realizar a comparação entre mocinhos e bandidos, o filme consegue mostrar bem essa dualidade. Estando no meio deste embate, Donnie Wilson (O'Shea Jackson Jr.), um simples barman que tem sua vida virada de cabeça para baixo.

Como disse anteriormente, o filme de Christian Gudegast não é inovador e apesar do roteiro ensaiar o possível aprofundamento dos personagens, tudo se torna muito raso e artificial. Sendo o verdadeiro brilho da produção, a ação e a mixagem de som. As cenas são muito bem executadas e os tiros de 12 são verdadeiras explosões sonoras.


Ou seja, este não é o filme em que você encontrará uma trama elaborada. Mesmo se utilizando de plot twist, este não causa o efeito desejado ao não surpreender o espectador. Covil de Ladrões é um filme para se deixar levar, sem questionar muito o que é apresentado. 

É a típica produção para você pegar sua pipoca e aproveitar as cenas de ação e a cara marrenta de Butler. Caso este seja seu objetivo, estará muito bem servido.




LEIA TAMBÉM