Swift

Estamos de volta a Westworld


Há poucas horas da estreia de sua segunda temporada, Westworld dá continuidade a sua jornada hoje às 22 horas. Com enormes expectativas e há espera de respostas, a sua volta certamente é um alívio para os fãs da série que conseguiu fisgar uma enorme audiência diante de uma história bem construída, questionamentos relevantes e personagens densos. Contudo o que podemos esperar do primeiro capítulo?

Intitulado Journey Into Night, à convite da HBO Brasil pude conferir o início da sua segunda temporada e decidi compartilhar minhas primeiras impressões desta volta. Mas pode ficar tranquilo, pois este post não irá conter nenhum tipo de spoiler, servindo apenas para aguçar sua curiosidade.

O que posso dizer sobre este início, é que a série não dará as respostas pelas quais o público tanto anseia de mão beijada. Nos 50 minutos de duração, o roteiro de Lisa Joy e Robert Patino possui uma linha temporal indefinida. Viajando entre o presente e o passado, Journey Into de Night consegue misturar as diversas narrativas e definir os personagens que serão os fios condutores desta história. 


De um lado temos Bernard (Jeffrey Wright) que se encontra totalmente perdido nesta revolução, ao mesmo tempo, que luta pela sua sobrevivência. Já do outro, há Dolores (Rachel Evan Wood) e Maeve (Thandie Newton), duas figuras femininas fortes que irão polarizar o público diante de suas condutas. Enquanto uma busca vingança, a outra busca sua humanidade. Por fim, em uma rápida aparição, vemos William (Ed Harris), que promete ser um dos grandes focos desta temporada.

Tendo como ponto de partida a revolução das criaturas contra seus criadores, o episódio utiliza as informações das quais temos conhecimento, como pequenos fragmentos diante de um complexo quebra-cabeça. Denso e exigindo a máxima atenção do espectador, a tensão é muito bem trabalhada durante todo o episódio fazendo com que o foco do público fique vidrado na história. 

No entanto, não ache que estamos diante de um recap da primeira temporada. Há espaço para o desenvolvimento de trama e introdução de novos personagens como é o caso de Karl Strand (Gustaf Skarsgård), personagem na qual não darei informações para não estragar sua experiência.

Para ser sincera, Journey Into Night, promete a grandiosidade que tanto a história necessita. Deixando aquele gostinho de quero mais, vemos que Westworld está preparado para explorar ainda mais este mundo e os personagens que o povoam -  como também aqueles que o criaram - mostrando que este foi um ótimo episódio de boas-vindas. Por isso, pegue seu cartão de embarque e deixe se levar mais uma vez por esta série.

LEIA TAMBÉM