Swift

Resenha: Rainha de Copas



É comum um autor usar um clássico como pano de fundo e se tornar apenas mais do mesmo, ou pior, ele conseguir arruinar a história. Aqui em Rainha de Copas não tivemos nenhum dos dois problemas. Com uma escrita leve e fluida Colleen Oakes trouxe uma outra visão da Princesa, antes de se tornar a temida Rainha de Copas. Vem comigo e confira o que achei dessa releitura. 


Antes de tudo, esqueça a rainha cabeçuda ou a personagem do desenho clássico, aqui temos uma princesa adolescente bem temperamental, mas ainda longe da crueldade que conhecemos. Collen, nos introduz à vida da Princesa desde os seus 15 anos, quando ela recebe o choque da descoberta de uma irmã - mais linda e adorável - fruto de uma traição de seu pai, o Rei de Copas, à sua amada e falecida mãe. 

“Me escute, Dinah - chiou - você nunca pode deixar o Rei de Copas ouvi-la dizendo isso. As coisas vão mudar para você, criança, e é melhor que seja mais forte do que essa pirralha chorona que é agora.”

Dinah que sempre buscou a atenção e a aprovação de seu pai, tem cada vez mais ódio e a afeição desejada parece ser direcionada somente à sua dita irmã bastarda. A solitária princesa conta então somente com o cuidado de seu tutor Harris e sua empregada Emily, além de seu melhor amigo, Wardley, pelo qual ela nutre uma secreta paixão. 

Em meio a tudo isso, Dinah recebe uma mensagem em um  banquete de uma pessoa secreta, com um símbolo e nome de uma mulher em um papel. E para descobrir do que se trata, ela precisa da ajuda de seu amado Wardley que a princípio nega, mas por fim cede à essa aventura aterrorizante de desbravar as Torres Negras, o lugar mais assustador do País das Maravilhas. 

"Nunca deseje estar dentro das Torres Negras - ele disse, seriamente - você não tem ideia do mal que lá se espreita."

O livro é pequeno, e a leitura é tão gostosa que acabamos em questão de poucas horas. Nunca havia lido nada da autora Colleen Oakes e posso dizer que me surpreendi. Não esperava gostar tanto. É claro, que não se trata de uma releitura super revolucionária, mas é interessante enxergar Dinah como alguém que tem um coração, mas que foi tão maltratado que a tornou a terrível Rainha de Copas que já conhecemos. O livro se trata apenas do começo da série The Crow, então termina de um jeito que nos deixa sedentos pelo que está por vir. A Universo dos livros já nos enviou o segundo, então em breve trarei a resenha para vocês. Até lá, não percam suas cabeças!

Título: Rainha de Copas
Páginas: 216
AutorColleen Oakes
EditoraUniverso dos Livros

LEIA TAMBÉM