Swift

4 Games grátis da Steam que valem a pena


A Steam é uma das melhores plataformas de games do mundo. A Valve — nossa querida desenvolvedora de Half-Life — é quem comanda esse império dos gamers de plantão. Então decidimos trazer para vocês alguns games gratuitos da Steam, mas que valem super a pena quando você está sem grana e quer muito jogar alguma coisa, seja sozinho ou com os amigos!

Warframe


O game que surgiu em 2013 e ainda é um grande sucesso entre os frequentadores da plataforma. Nele somos colocados para jogar com os ninjas Tenno, em uma guerra com “alienígenas”, que são clones humanos militarizados, os Grineer. E ainda existem mais dois grupos, um deles é a Corpus, uma corporação e os Infectados, que foram atingidos por um vírus mortal.

O game pode ser jogado tanto online como offline. E também podemos escolher como será nosso destino, algo que é muito importante no desenvolver da campanha. O modo pelo qual seguimos lembra muito games de RPG — como Ragnarok ou MapleStory — em que precisamos escolher qual classe de Ninja seremos, para receber uma armadura especifica de Warframe. 


A única coisa que pode incomodar um pouco os jogadores é o cenário que se torna um pouco repetitivo em muitos momentos, mas por conta de vivenciarmos missões que são muito diferentes umas das outras, talvez nos faça esquecer isso durante a jogatina. 

Algo que também não podemos deixar de falar é que mesmo sendo um jogo online, também temos a opção de compras com cash, onde adquirimos novas armas e equipamentos para o personagem — mas se você não fizer questão nenhuma disso, não é algo obrigatório, já que a diversão é garantida de qualquer jeito. 


Path of Exile


Para aqueles que jogam — ou até mesmo já jogaram — o game Diablo, poderão gostar muito da experiência com Path of Exile. O game surgiu em 2013 e ainda é um dos mais jogados na plataforma, tendo uma grande variedade de missões e também possibilitando a jogatina tanto sozinho como online.


Uma das coisas que muita gente reclama é o "passo" em que o game anda, sendo muito lenta a construção dos personagens durante as partidas. Mas isso não tira ele de uma lista de games que valem a pena.


Dead Maze


O game que teve seu lançamento em fevereiro de 2018 não é um dos mais conhecidos pelos amantes dos jogos. Dead Maze pode ser uma ótima ideia para aqueles que adoram um jogo online e também curte zumbis.

O jogo funciona como um MMO, onde podemos formar grupos ou até mesmo jogar sozinho, efetuando quests e arranjando suprimentos para sua sobrevivência. Nele temos as cutscenes que ocorrem em momentos chaves que avançamos no game, que nos contam um pouco mais do que está ocorrendo nesse mundo pós-apocalíptico. 


O jogo é bem interativo e divertido, mas o que pode irritar em muitos momentos são os bugs que presenciamos muito durante a jogatina. Em nenhum momento morremos por conta disso, mas quando estamos nos movimentando acabamos sofrendo um delay que chega a ser muitas vezes irritante.

Mas mesmo com esse pequeno problema, e que ocorre apenas às vezes, ainda é uma experiência interessante para se ter, principalmente pelo fato de estar sem grana.


Brawlhalla


E esse é para os fãs da Nintendo. Todo bom jogador dos consoles da Nintendo conhece um dos games mais fantásticos e incríveis para jogar com a galera — Smash Bros. Um dos clássicos, e que mesmo que não seja online, vale super a pena e se aplica muito ao querido Brawlhalla.

Nele temos vários personagens que vão de figuras mitológicas e alguns que são inspirados em outros games e animes. E o que mais nos anima é sua dinâmica idêntica ao Smash, com seus poderes, ataques e jogabilidade. 


Uma única coisa que pode desencorajar as pessoas a baixar o game é que ele pode ser meio estanho no começo e ninguém levar muita fé, mas principalmente pelo fato de que precisa ser jogado com os amigos no mesmo ambiente, não existindo a possibilidade da jogatina online.

Mas é sempre bom se juntar na casa de um amigo, pelos velhos tempos, e jogar todos juntos, não é? Para alguns isso pode ser ruim, mas para muitos pode valer super a pena e aproximar as pessoas novamente, nos "tempos online" em que vivemos.

LEIA TAMBÉM