Swift

Primeiras Impressões | Objetos Cortantes


Ora ou outra, a HBO lança séries de sucesso tanto de público quanto de crítica. Foi assim com Game of Thrones e com Big Little Lies. Com o término de Westworld, o canal irá lançar outra produção que promete se sair bem na audiência. Trata-se da minissérie Objetos Cortantes (Sharps Objects). E nós tivemos a oportunidade de assistir aos dois primeiros episódios e aqui vocês conferem as nossas primeiras impressões!

A minissérie é uma adaptação do primeiro romance de Gillian Flynn (Garota Exemplar) e conta com oito episódios dirigidos por Jean-Marc Vallée (Clube de Compras Dallas). No primeiro episódio acompanhamos Camille Preaker (Amy Adams), uma repórter, que volta à sua cidade natal para investigar o assassinato de duas garotas. 

Como primeiro episódio, a minissérie mostra o mistério acerca de Camille. Há uma aura de suspense por trás da protagonista e parece haver muitas lembranças envolvendo ela e a cidade. Nada nos é contato de imediato, apenas é apresentado os personagens e o ambiente em que a trama irá se desenrolar. 

Há uma quebra na narrativa, apresentando flashbacks de quando era adolescente e sentimentos e pensamentos ligados a cidade natal e à época em que viveu lá. Parece um episódio arrastado, mas não é. Ele não precisa nos apresentar todos os mistérios que envolvem Camille de primeira mão. Trabalha todos os elementos que fazem o telespectador querer saber mais sobre a protagonista, seus dramas envolvendo e os assassinatos que ela está investigando.



O segundo episódio é mais interessante e enigmático, onde já começamos a vivenciar a rotina de Camille com sua mãe, e com sua irmã mais nova. Há certo tom dramático nesse ambiente familiar em que ela se insere novamente. Parece uma estranha vivendo na casa dos seus pais e sua relação com a mãe não é das melhores, há uma clara preferência por parte desta pela filha mais nova. 

Objetos Cortantes consegue te prender nos dois primeiros episódios. Primeiramente pelo tom de suspense envolvendo os assassinatos e segundo pela vida da personagem de Amy Adams e sua relação com a cidade. O desenvolvimento é lento, mesmo não perdendo tempo com diálogos ou em cenas desnecessárias, ainda continua num ritmo mais demorado que o comum. 

É uma minissérie muito parecida com Big Little Lies, a diferença é que Big Little Lies se prendia na vida de três protagonistas, havia mais história para trabalhar, enquanto em Sharps Objects há apenas Camille Preaker e sua vida no presente e no passado.


Amy Adams está fantástica nesses dois primeiros episódios, passa um tom realista à sua personagem, interpretando com suavidade e demonstrando ser uma mulher durona e que busca seus objetivos. Tira de letra o papel e demonstra que pode sim ser tão competente na TV quanto é no cinema.

Como não poderia ser diferente em uma produção da HBO, a direção de arte junto com a fotografia estão ótimas. A luz por vez ou outra se alterna nas cenas de passado e presente, nos mostrando em que momento a protagonista se encontra. Ora em um momento mais sombrio e triste, ora em tom mais alegre.

Nos dois primeiros episódios, a minissérie se mostrou com grande futuro, apesar de demorar em começar a desenvolver a história. Esses dois primeiros episódios dão uma pincelada do que irá ocorrer em toda a trama, dando aos poucos novos elementos para prender o telespectador nessa teia de suspense.

A data de estreia está marcada para o dia 8 de julho, às 22h, nos canais HBO GO e HBO.


LEIA TAMBÉM