Swift

Review | Luke Cage: 2ª temporada


Salve salve Tripulação, hoje irei falar um pouco de Luke Cage e como ela conseguiu melhorar nessa segunda temporada. Vamos?

Um dos principais aspectos em que a Netflix/Marvel erraram na primeira temporada foi a morte do "Boca de Algodão" e com isso perdendo o melhor vilão que eles tinham construído. Tentaram fazer com que a temporada tivesse dois grandes antagonistas e isso não funcionou.

Pois bem, na segunda temporada eles não fizeram isso. Se utilizaram de todos os episódios para criar um grande arco, continuando de onde pararam e assim expandiram a trama e o universo da série. Dessa vez tendo todos os antagonistas trabalhando e criando caos no Harlem durante todos os episódios da temporada, sem inventar e quebrar a temporada em duas, e isso fez com que a série obtivesse um salto de qualidade gritante.



Mantiveram a pegada musical que já conhecemos, adicionando estilos musicais, principalmente o reagee, fazendo contraponto ao vilão Jamaicano na trama. E cada vez mais estão utilizando desse formato com melhor sabedoria.

Luke Cage agora conhecido pela população, tenta continuar a deixar o bairro seguro, porém essa exposição exagerada acaba trazendo mais problemas para ele e consequentemente para os habitantes do Harlem.

Um dos melhores arcos para mim é a da detetive Misty Knight, pois após os acontecimentos de Os Defensores ela tem muito o que recuperar e aprender. Vemos um crescimento da personagem, mas sem deixar de ser quem ela é.



Apesar de ser um dos pontos chaves da série (1ª e 2ª temporadas) até agora, não consigo gostar muito da personagem Mariah Stokes. Não sei se não "comprei" a interpretação da Alfre Woodard ou se a Mariah é mal escrita.

Há personagens novos nessa temporada, bem colocados para dar suporte para o elenco primário e o que mais gostei e acabou sendo uma das melhores coisas foi o John “Bushmaster” McIver. Um antagonista forte, em todos os sentidos. Trouxe um senso de perigo a todos no Harlem.

Nessa temporada temos uma disputa entre a Mariah e o Bushmaster, com o Luke Cage tentando “apagar o fogo” causado por esta disputa. Sendo que temos vários dramas acontecendo paralelamente, por ex, o relacionamento do Luke e Claire e a Misty sem saber se consegue voltar a ser uma detetive.



Sim, é uma série que faz parte de um universo e a Netflix/Marvel parece que aprendeu isso, porque temos participações pontuais/especiais que são primorosas. Só assistam!

Como sempre bem produzida, a série está longe de ser um primor de série, mas a Netflix/Marvel conseguiu começar a lapidar o diamante bruto Luke Cage da primeira temporada e nos entregando uma ótima segunda temporada.

Se você já viu todas as outras séries deste universo, como este que vos fala, vai fundo que gostar. Porém se está em dúvida, dá uma chance, lembrando que segue a mesma linha da primeira temporada. Espere uma evolução, e não uma revolução.

Vejo vocês na próxima esquina do Harlem. Até mais!


LEIA TAMBÉM