Swift

Você precisa assistir Kiss Me First


Diariamente a Netflix nos bombardeia com conteúdos originais que atingem os mais diversificados grupos, infelizmente alguns desses lançamentos não são tão bons assim e nem merecem serem indicados, mas alguns são muito bons e merecem todos os holofotes possíveis. Este é o caso de Kiss me First, uma série original que entrou para o catálogo do streaming recentemente, e precisa ser assistida!

A série é uma adaptação de um livro, e a produção foi comandada por Bryan Elsley, conhecido por ser o criador de Skins. Na história acompanhamos a jovem Leila (Tallulah Rose Jadson) uma garota que é completamente viciada em jogos virtuais e vive dentro de Azana, plataforma virtual onde ela luta e faz amizades. Após perder sua mãe, ela acaba entrando mais a fundo nesse universo virtual, onde conhece Tess (Simona Brown), uma mulher encantadora que desperta a atenção de Leila e a apresenta a um novo mundo dentro de Azana, um lugar conhecido como Pílula Vermelha. 


Neste lugar secreto dentro de Azana, há um grupo de desajustados liderados por Adrian (Matthew Beard), onde tudo é construído para saciar os desejos e realizar atividades que permitem sentir riscos de vida reais, é tudo intenso e verdadeiro. Mas apesar de ser um grupo onde pessoas que precisam de motivos para continuar vivendo se reúnem, Leila acaba percebendo que é um lugar muito perigoso e, que Adrian esconde muitos segredos.

Este é o plot principal de Kiss Me First, Leila entrando neste grupo e tentando descobrir o que há por trás da Pílula Vermelha, e é muito legal ir desvendando os mistérios junto com ela, é como se nós também estivéssemos jogando com a protagonista. Uma coisa que contribui muito para que essa visão de jogo seja ainda mais real, é que a série mistura muito bem esses dois universos, hora estamos vendo os personagens reais, hora estamos vendo seus avatares interagindo dentro do jogo. 


A trama é bem construída, mas algumas coisas acabam sendo rápidas demais e clichê demais, nada é perfeito não é mesmo? A ligação de Tess e Leila se desenvolve muito rápido e é um pouco confusa, além disso, Adrian acabou sendo na minha visão, um vilão mal construído, e não consegui comprar a sua ideia, só achei ele bom e ponto. 

Mas essa é minha visão particular, gosto de vilões que nos fazem comprar sua ideia, o que infelizmente não aconteceu aqui. Deixando isso de lado, a série é realmente muito agradável, e minha parte favorita de longe é a parte do jogo, é como se estivéssemos assistindo uma gameplay muito legal, e eu adoraria ter a oportunidade de entrar em Azana, até mesmo na Pílula Vermelha, dá pra pirar na ideia do jogo e isso é fascinante.


Apesar de ter algumas falhas, a série ganha por ser extremamente cativante, mesmo com alguns clichês, ela nos prende a tela, e as atuações estão realmente boas, os atores são bons e fazem um bom trabalho. Para quem ama uma série de mistério e adora jogos, Kiss Me First é um prato cheio, é encantadora e um ótimo entretenimento, vale muito a pena dar uma chance! 


LEIA TAMBÉM