Swift

Por que eu amo sci-fi


Hey, tripulação! Eu sempre fui muito apaixonado por ficção científica — desde quando eu era apenas um garotinho sonhando em ser um astronauta — e quando ela aparece em seus diversos tipos de mídia, meus olhos brilham mais forte. Desde livros até aos filmes e seriados, sci-fi consegue ser o meu amor maior e muita gente não entende como eu gosto tanto assim da ficção científica, por isso eu trouxe aqui — em um diário de bordo bem curtinho — alguns dos motivos que explicam um pouquinho dessa paixão. Me acompanhem.

AS VIAGENS NO TEMPO

Manipular o tempo sempre foi um dos maiores desejos da humanidade e não foram poucas as teorias científicas para voltar ou avançar nas eras. Sempre fui muito fascinado por isso e pelas máquinas e dispositivos que possivelmente permitiriam alterar o curso natural da história. É certo que na fantasia, também vemos um pouco disso, normalmente através da magia, mas a ciência sempre me chamou muito mais atenção e muitas das obras de sci-fi mexem com essa coisinha preciosa que é o tempo.

A TECNOLOGIA

Como mencionei acima, dispositivos e máquinas que desafiam e brincam com as leis da física são muito presentes nos cenários de ficção-científica, e eu que trabalho e estudo TI sou nada menos do que apaixonado por tecnologia, e meus olhos brilham diante daqueles laboratórios cheios de "brinquedos legais". Mas convenhamos que qualquer um tem vontade de bancar o Tony Stark quando vê aquele monte de eletrônicos e cabos de energia e painéis lotados de botões, não é mesmo?!


OS ROBÔS

Ainda falando sobre uma vertente da tecnologia, praticamente todo ambiente sci-fi possui muitos robôs, e se por um lado as pessoas tendem a amar bichinhos de estimação, eu tenho vontade de ter vários robôs. Mas não apenas pelo fato de ver uma máquina que se mexe, mas também pelo fato de poder programa-las e explorar a inteligência artificial. Eu sou muito fã de apocalipses zumbi, mas apocalipses robóticos fazem meu coração bater muito mais forte. Pode entrar, Skynet!


O FUTURO

Se tem um ponto bem exato onde a ficção-científica se separa da fantasia, esse ponto é o tempo! Fantasia tende a estar, na maioria esmagadora dos casos, no passado — viva a era medieval! —, enquanto a ficção-científica está com o foco basicamente no futuro, e nas coisas que poderemos encontrar daqui a alguns anos com o avanço da tecnologia e da ciência. Isso move uma paixão e uma esperança muito grande em mim, em tentar saber onde conseguiremos chegar.

O REALISMO

E o melhor eu deixei para o final. Acredito que o fato que sempre me fez mais amante de sci-fi e tão fascinado por todo o contexto, dimensões e universos proporcionados por ela, é que todos os seus elementos são baseados em algo real. Seja um fato histórico, uma experiência ou um resultado científico, uma lei da física — com suas variações e possíveis distorções — ou até mesmo uma teoria sem equipamentos suficientes para ser provada. Porém a ficção-científica sempre terá essa característica de estar muito próxima da realidade, sempre beirando o “será que isso pode realmente acontecer?”. Sempre fornecendo uma imersão muito maior na credibilidade do  cenário apresentado e na esperança de que realmente poderemos alcançar, oferecendo algo muito mais crível.

Eu poderia escrever muitos outros pontos e deixar esse post gigantesco, mas acredito que mencionei os meus principais motivos. E vocês, também curtem sci-fi? Deixem aqui nos comentários se por acaso se identificaram com algo que abordei e quais outros também fazem o coração de vocês bater mais forte. Câmbio, desligo.

LEIA TAMBÉM