Swift

Review | World of Warcraft: Battle for Azeroth


Nossa querida história com World Of Warcraft está já conquistando os fãs de games há 15 anos. Tivemos sempre belas expansões, histórias para serem contadas de forma muito bonita e respeitada pelo jogadores e o principal que foi nunca perder sua essência durante as mudanças. Em sua nova expansão, "Battle for Azeroth" continuamos vendo muito isso e como WoW ainda é um game que pode nos deixar emocionado e nos fazer pensar realmente de qual lado nos estamos.

Em Battle for Azeroth, temos a continuação dos dois mundos de Warcraft, mas desta vez em uma grande batalha. Na liderança da horda temos Sylvana Corre Ventos, que acabou deixando um conflito grande entre os jogadores que apoiam a Horda pelo fato de não gostarem de suas atitudes tomadas como líder. Já no lado Aliança, temos Anduin, que após morte de seu pai precisou tomar seu lugar e lutar pela Aliança, ajudando seu povo contra a destruição de Sylvana.

Os conflitos já eram óbvios nos vídeos lançados pela empresa sobre sua nova expansão, onde os diálogos já nos faziam pensar de qual lado nos estaríamos nessa jornada em nossa campanha no MMO. Agora podemos começar no lvl 110 para estar mais próximo da batalha e começar com um equipe alto, onde vamos desenvolvendo enquanto estamos "upando" nosso personagem. Mesmo que seja complicado - como em muitos MMORPG - upar rápido em um nível alto é sempre difícil, mas com a formação de uma guilda com os amigos pode ajudar muito no desenvolvimento e também na batalha contra os Boss que podem ser encontrados.



Na nova expansão também temos duas novas cidades no mapa: Zandalar e Kul Tiras. Lá teremos a quest principal envolvendo a batalha das duas forças maiores, mas também as secundárias, onde teremos apenas que ajudar as pessoas com o que elas precisarem, saindo do cenário de Azeroth.

E nessa nova expansão voltamos as origens de Warcraft, o que pode deixar alguns fãs jogadores bem nostálgicos durante a jogatina, já que estamos saindo da batalha contra aliens e ambientes de outros planetas, para um lugar mais familiar e que acaba dando um quentinho para nossos corações. Em nosso tempo de beta não conseguimos explorar todos os ambientes, pelo fato de ser muita coisa para se conhecer e até mesmo, mas sempre que passamos por alguma ilha podemos dizer com clareza que aquilo é World Of Warcraft.

Em Battle for Azeroth não levamos um tapa na cara com uma história pirotécnica e planeta diferente. Ficamos no conforto do mundo nórdico onde as espadas e as habilidades das classes é quem mandam no terreno. E é o que torna a nova expansão maravilhosa de se jogar, nos colocar em uma área de conforto, boa história e uma escolha muito difícil: ficar ao lado da Horda ou da Aliança?


LEIA TAMBÉM