Swift

Stan Lee: um homem, uma lenda, uma inspiração


A tarde do dia 12 de novembro pegou grande parte das pessoas de maneira desprevenida quando foi anunciado o falecimento de Stan Lee. Contudo, você já se perguntou porque a morte de um homem de 95 anos causo tanta surpresa?

De certo, Lee viveu longos e felizes anos, mas acho que, assim como eu, muitos esqueceram que a lenda também era um ser mortal. Sua figura fez com que o ser humano assumisse uma forma quase mitológica que estivesse acima de qualquer fatalidade. E talvez sua despedida tenha sido nossa wake up call.

Poderia escrever um longo texto sobre suas grandes contribuições, porém vendo as inúmeras mensagens nas redes sociais posso confirmar que o grande legado deixado por este, ainda vive. Um homem que adorava contar histórias inspirou - e ainda inspira - muitos por meio de suas criações. 

Dotados de uma humanidade ímpar, seus heróis eram mais do que personagens com super-poderes e uniformes legais, mas demonstravam-se tão imperfeitos como nós. Não é a toa que aprendemos tanto com Stan Lee, o quadrinista conseguiu criar uma verdadeira legião de fãs não somente por suas obras, mas por conseguir fazer com as pessoas se correlacionassem com suas histórias.


Ele mudou o conceito de super-herói, não estávamos mais diante de um simples personagem. Folhear as páginas de um quadrinho se tornou bem mais que acompanhar uma aventurar e a cada edição revisitávamos um amigo que nos aguardava para adentrarmos em um universo fantástico.

Através de sua imaginação, ele nos proporcionou importantes ensinamentos. Sempre transmitindo que "com grandes poderes, vem grandes responsabilidades", nós tivemos a oportunidade de crescer com nossos personagens favoritos e ver neles uma fonte de força e inspiração nos momentos mais difíceis. Pode parecer exagero para alguns, mas Stan Lee realmente mudou a vida de inúmeras pessoas.

A verdade é que nem eu sei bem o objetivo deste texto, talvez seja uma forma de agradecimento, de relembrar sua importância ou de simplesmente externar o sentimento de como essa pessoa serviu de incentivo na minha vida. Ele não não mais neste plano, mas sua essência vive em cada um de nós. Excelsior, Stan!

LEIA TAMBÉM