Swift

Crítica | A Favorita


A Favorita é uma das produções que possui chance de estar entre os indicados do Oscar 2019. Encabeçado por Emma Stone, Olivia Colman e Rachel Weisz, a trama mistura drama, conflitos de poder e algumas pitadas suaves de humor.

Mas não pense que chegará ao cinema e irá se deparar com um filme de cunho humorístico ou algo do tipo, pois a produção foca em desenvolver o complexo relacionamento e conexões entre as personagens da Rainha Ana (Colman), sua confidente e amante Sarah (Weisz) e da recém-chegada de Abigail (Stone). Está última entrando na trama para incrementar ainda mais a relação das primeiras mencionadas.

cr: FOX Films Brasil
O filme trás à tona o poder feminino na Inglaterra do século XVII, além de abordar a linha tênue entre amor e poder. Já que mesmo sendo amante, Sarah em sua posição de Duquesa e tesoureira do reino influencia a opinião e postura da rainha muitas vezes ao longo da história em relação a guerra travada contra a França.

Com uma atuação impecável, Emma Stone vive Abigail. Prima distante de Sarah, que nasceu em família rica, que teve sua queda e passou por muitos problemas até chegar ao palácio pedindo emprego. Sua personagem descobre o maior segredo entre a Duquesa e a Rainha, tomando então atitudes que possam levá-la até a alta sociedade novamente.

cr: FOX Films Brasil
Apesar do elenco ser excelente e as atuações melhores ainda, o filme chega a ser cansativo de tão longo. O fato de separarem a trama em atos/capítulos, como em uma peça teatral, deixa a história pesada e o espectador um pouco incomodado com essas quebras bruscas no roteiro.

O filme chega aos cinemas dia 24 de janeiro. Então comprem um balde grande de pipoca e aproveitem a sessão.



LEIA TAMBÉM