Swift

Crítica | Shazam! (sem spoiler)


O que ocorre quando você une a sabedoria de Salomão, a força de Hércules, a resistência de Atlas, o poder de Zeus, a coragem de Aquiles e a velocidade de Mercúrio? SHAZAMO personagem que surgiu na Era de Ouro dos heróis e possui uma história recheada de mitologia chega aos cinemas nesta quinta-feira, dia 04 de abril.

Provavelmente muitos não tenham tido contato ou nem conheçam o herói, sendo o filme uma perfeita maneira de introduzi-lo ao público. Na trama, conhecemos Billy Batson (Asher Angel) um jovem órfão de 14 anos a procura de sua mãe. Após inúmeras fugas de lares provisórias, o adolescente acaba caindo em uma nova família. Tentando se adaptar a uma nova escola, ao mesmo tempo, que continua a procura por sua genitora, é a partir de um estranho encontro que o garoto acaba adquirindo o poder de se transformar em um super-herói adulto.

Um menino em sua essência, mas dentro do corpo de um deus, é o elemento que torna a história tão fantástica. A verdade é que todos nós já tivemos a vontade de nos tornar super-heróis e salvar o mundo. Brincando com o nosso imaginário e recordações, Billy simplesmente produz em tela tudo o que gostaríamos de realizar caso ganhássemos super poderes. Ele é capaz de voar? Tem visão de raio-X? Consegue soltar raios pelas mãos? Pode perder a prova de estudos sociais? O personagem começa a testar seus limites e habilidades com a euforia de uma criança.
créditos: Warner Bros. Brasil
Ao seu lado se encontra Freddy Freeman (Jack Dylan Grazeruma verdadeira enciclopédia de heróis que ajuda Billy nesta divertida jornada. É através do personagem que o roteiro do filme consegue ligar o universo da DC e introduzir inúmeros easter egg. Divertido, sagaz e sempre com uma resposta na ponta da língua, o personagem rouba a cena e possui ótima química com Billy/SHAZAM.

Sabendo utilizar a comédia na dose certa, SHAZAM não é um filme bobo com piadas sem graças. O timing é perfeito e grande parte do acerto se deve ao excelente Zachary Levi, que simplesmente nasceu para viver o personagem - como Robert Downey Junior nasceu para o Homem de Ferro e Ryan Reynolds nasceu para o Deadpool - e demonstra estar totalmente confortável no papel. Outro ponto positivo do roteiro é a liga que este dá a possíveis futuros filmes, ao introduzir de formal totalmente orgânica o extenso universo do super-herói. Por óbvio não irei citar os momentos mas apenas posso afirmar que a DC já tem grandes aventuras planejadas.
créditos: Warner Bros Brasil
Por fim, não posso me deixar de mencionar o grande vilão desta história: Dr. Thaddeus Sivana (Mark Strong). O antagonista cumpre o seu papel e rende bons momentos/embates com o protagonista, porém eu sinto que Sivana poderia ter tido mais explorado e desenvolvido, já que senti este um pouco apagado em certos momentos da história, não causando o impacto necessário em tela.

Já me desculpando pela enorme crítica, posso resumir que SHAZAM é um filme de origem recheado de acertos. Agora só falta você falar a palavra mágica e assistir essa história nos cinemas.

LEIA TAMBÉM