Swift

O Mundo Sombrio de Sabrina - Parte 2: O terror e a magia são abraçados por completo


A Netflix disponibilizou para a cabine de comando os 5 primeiros episódios da parte 2 de O Mundo Sombrio de Sabrina, sendo assim nada mais justo que escrever as primeiras impressões dessa narrativa satânica. Já digo de cara que nesta temporada Sabrina Spellman (Kiernan Shipka) abraça mais as artes ocultas, criando uma temporada mais dinâmica, interessante e infernal. Sim, não teremos uma forte presença da parte mortal da protagonista, mas nada tema, pois Harvey (Ross Lynch), Susie (Lachlan Watson) e Rosalind (Jaz Sinclair) ainda tem sua importância.

No entanto, fico aliviada que a trama de mais destaque ao lado bruxo da protagonista e, consequentemente, a expansão desse universo ao vermos a adolescente tirar umas férias sabáticas do mundo mortal e explorar o lado oculto da sua natureza. Juntamente com a expansão do mundo bruxo e da própria Academia de Artes Ocultas - que por sinal ganha mais destaque, ao conhecermos sua estrutura e funcionamento - o horror também cresce.

Vemos aqui uma ligeira mudança de tom, e mesmo abraçando uma narrativa mais adolescente ao lidar com um triângulo amoroso, bailes e outras vivências normais dos jovens desta idade, a história nunca se torna sonsa ou desinteressante, ao lidar de forma madura e sem perder seu lado sombrio. Caso seja amante do gênero não irão faltar certas menções que farão você se lembrar de clássicas obras ou personagens.


créditos: Netflix Brasil
Outro fator que continua a progredir são as discussões sociais que a série traz. A questão da transexualidade, auto-aceitação, bullying e empoderamento feminino possuem ainda uma forte presença na história e mesmo que estejamos diante do lado mais "mágico" desta temporada, os arcos se mesclam perfeitamente ao entreter o espectador, assim como, insinuar certas reflexões.

Possuindo um ritmo mais rápido, diante da própria curiosidade e decisões da protagonista. O Mundo Sombrio de Sabrina - Parte 2 tem uma ligeira sensação de urgência que faltava na sua primeira parte. Como também, a possibilidade do desenvolvimento de certos arcos independentes que não necessitem da presença da bruxinha: Susie (Lachlan Watson), Madame Satã (Michelle Gomez) e Tia Hilda (Miranda Otto) ganham muito mais espaço na narrativa e não decepcionam ao trazer mais camadas para está história.


créditos: Netflix Brasil
Além disso, Nicholas Scratch (Gavin Leatherwood) abocanha uma posição no elenco principal e não decepciona. No curso dos cinco episódios que assisti, confesso que fiquei ligeiramente obcecada com o personagem - seu jeito dúbio e misterioso rouba a atenção - e com um envolvimento muito maior na trama, não duvido que este se torne um dos personagens favoritos dos fãs.

Abraçando o lado oculto e seus mistérios, O Mundo Sombrio de Sabrina - Parte 2 veio mostrar que a magia é a melhor amiga de uma bruxa, podendo ser deliciosamente interessante ou brutal. Agora resta a esta pobre mortal que aqui escrever aguardar o desfecho dessa história no dia 05 de abril e não sofrer de ansiedade. Praise Satan!

LEIA TAMBÉM