Swift

Crítica | Cemitério Maldito


Nos últimos anos o autor Stephen King voltou à moda na indústria hollywoodiana, principalmente após o sucesso grandioso de 'It - A Coisa', que se tornou a maior bilheteria da história para um filme de gênero de terror. Conhecido pelos seus livros que sempre trazem histórias impactantes, densas, complexas e de extrema dificuldade de adaptação para o cinema.

Agora, quase trinta anos após a adaptação original de 1983, Cemitério Maldito chega aos cinemas, pelas mãos de Kevin Kölsch e Dennis Widmyer, ganhando novas reviravoltas que acrescentaram um outro sentido à história original. Com a promessa de também se encaixar na lista de grandes sequências de adaptações diferenciadas, como, as bem-sucedidas, 'O Iluminado', 'À Espera de um Milagre', entre outros, é espantoso notar o quão fácil o longa escapa da memória, mesmo com alguns toques originais e uma execução competente.
Imagem relacionada
créditos: Paramount Pictures Brasil
Na trama, acompanhamos a família Creed, que se muda para uma nova casa no interior, próxima de um pequeno cemitério usado para enterrar animais de estimação. Logo eles descobrem que não muito longe dali existe outro cemitério, utilizado por indígenas no passado e que esconde segredos terríveis. Quando uma tragédia atinge a família, os poderes e terrores envolvendo este cemitério trarão consequências inimagináveis.

Com uma narrativa construída gradativamente, o roteiro se preocupa em criar laços entre os personagens, apresentando suas características, crenças e medos, fazendo com que esses detalhes usados durante momentos importantes do filme sirvam para causar tanto medo quanto para criar um vínculo com o público. Embora alguns pontos tenham uma construção um pouco pobre, como a discussão sobre vida após a morte, o roteiro planta diversos elementos e depois os reutiliza de forma inteligente, como acontece ao longo da história com Zelda, personagem interpretada pela estreante Alyssa Brooke Levine.
Resultado de imagem para pet sematary 2019 gif
créditos: Paramount Pictures Brasil
Na essência, Cemitério Maldito é um filme de terror que oscila entre bons momentos carregados pelo drama e sequências de terror brutal e assustadoras, que ao mesmo tempo tem o benefício de ser rápido e eficiente, com um roteiro redondinho que não traz excessos ou aquela famosa enrolação. Trazendo um final forte e corajoso por apostar em algo diferente do livro.

LEIA TAMBÉM