Swift

Crítica | Homem-Aranha: Longe de Casa (com spoilers)


Vingadores: Ultimato fez um barulhão no mundo do cinema, mas a missão de fechar a terceira fase do MCU ficou a cargo do Amigão da Vizinhança, em Homem-Aranha: Longe de Casa.

Capitão América e Homem de Ferro receberam suas glórias ao longo dos títulos dos Vingadores, mas o Homem-Aranha, como um personagem tão importante da Marvel, merecia essa chave final e já adianto que ele cumpre muito bem a missão que recebeu.

ATENÇÃO, ESTA MATÉRIA CONTÉM MUITOS SPOILERS DE HOMEM-ARANHA: LONGE DE CASA! CASO PREFIRA, TEMOS TAMBÉM UMA CRÍTICA SEM SPOILERS: Homem-Aranha: Longe de Casa (sem spoilers).

Como o post ficou bem grande, eu resolvi separá-lo em alguns tópicos, para facilitar a localização dos assuntos.

UM HOMEM-ARANHA MAIS ORIGINAL

Os filmes anteriores do Spidey possuíam elementos colegiais, mas os atores e o clima dos filmes sempre tendiam para um ambiente mais obscuro e adulto, fugindo um pouco daquele núcleo do Homem-Aranha. No entanto, desde que Tom Holland vestiu o uniforme do nosso Cabeça-De-Teia, isso mudou bastante e se aproximou muito mais do que é visto nas HQs.

Em Homem-Aranha: Longe de Casa, o clima colegial e os personagens mais novos dominam e realmente fazem o filme! Fica um tanto mais bobo do que nos quadrinhos, mas isso não chega a ser um ponto negativo. Os medos adolescentes, os dilemas adolescentes estão ali, onde deveriam estar, sejam nos romances de Ned e Betty ou Peter e Mary Jane, seja na vida de rede social de Flash, ou até mesmo na rivalidade entre garotos que disputam a atenção de uma garota. Tudo bem coerente.

O VILÃO

Sempre paira aquele medo de um personagem ser destruído em uma adaptação, e isso também valeu para o Mysterio. Um dos meus personagens favoritos da Marvel e um dos vilões mais importantes e bem construídos, do Spidey. Na verdade, os vilões do Aranha, são, em geral, dos mais bem elaborados da Marvel, concordamos?!



Porém meu coração se acalmou muito quando revelaram a escalação de Jake Gyllenhaal para interpretar o personagem e o cara realmente não deixou a desejar. Entrou no uniforme de Quentin e entregou o que os fãs esperavam!
O cara interpreta muito bem a personalidade do Mysterio e o peso que o personagem tem, na medida exata! De fazer os olhos brilharem.



O roteiro consegue montar a armadilha perfeita para quem já não conhece o Mysterio das HQs. Com certeza, quem você não conhece o cara, acreditará fielmente que os vilões são realmente os seres elementais. Já depois de revelados os planos de Quentin, a incerteza passa a perseguir o expectador o tempo inteiro.

As ilusões utilizadas por Mysterio também são muito originais do personagem, naqueles ambientes vertiginosos, explorando traumas, medos e preocupações do Homem-Aranha, mas também confundindo a realidade. Até a última cena, lá no vídeo final onde ele revela a identidade do Peter, Mysterio foi exatamente como o Mysterio deveria ser e deixando claro que ele ainda vai dar trabalho pela frente.

REFERÊNCIAS

Homem-Aranha: Longe de Casa é um filme que deixaria o Capitão América muito orgulhoso! Porque o que não falta aqui são referências.



Desde referências ao Universo 833 e à destruição de sua Terra, até mesmo referências ao jogo do PS4. A cena em que o Peter está balançando entre os prédios e tira uma selfie também tem no jogo, extremamente parecida! Sony, nós estamos ligados!



As ideologias do mundo real também estão nas referências do filme! E mais uma vez temos representatividade por aqui. Seja pelo relacionamento entre etnias diferentes como Ned e Betty, seja com uma pegada imigrante apresentada por Flash, seja pelo lenço na cabeça de uma das garotas da turma. Muito plausível e contextualizado.

Você quer mais referência? Então, o filme tem! A musiquinha tema de Vingadores também está permeando a trama durante vários momentos. Fora a isso, referências a outros personagens — como o Jameson, que levou o cinema à loucura e os Skrulls trabalhando na S.H.I.E.L.D. —, além dos uniformes diferentes e até menções nerds do Peter, estão espalhadas por todos os lados e dá muito gosto identifica-las.



O ROTEIRO

Para a boa saúde de nossos corações, o roteiro é muito bem amarrado e muito baseado na coerência. Utilizando elementos dos filmes anteriores, Homem-Aranha: Longe de Casa consegue deixar tudo muito bem em seu devido lugar, com explicações e aplicações extremamente bem elaboradas, como a tecnologia Stark, que avançou tanto ao longo de tantos filmes e que agora permitiu Mysterio fazer o que fez.

TEM DEFEITOS?

Tem, sim. Eu posso dizer que apenas uma coisa me incomodou no filme, que foi a luta do Peter contra aqueles milhares de drones. Sério, em vários momentos os tiros acertaram o Peter, mas ele “não foi atingido”, até mesmo porque o filme dá a entender que ele não está utilizando o Arrepio-Do-Aranha — cara, eu odiei essa piada, sério — enquanto enfrenta aquilo tudo.

Outro ponto também sobre essa batalha, é que milhares de drones ficam parados e distantes, enquanto deveriam estar atacando o Peter. Eu realmente preferiria que tivesse uma batalha menos CGI e mais acrobática do que aquela.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Afirmo com total certeza de que Homem-Aranha: Longe de Casa cumpre a missão de fechar a terceira fase do MCU, mantendo o altíssimo nível esperado pelos fãs, tanto em roteiro, quanto em atuação e também conteúdo.

Quanto à próxima fase, o filme deixa várias pistas e dicas do que serão abordados pelos próximos títulos, como as particularidades do snap e do blip causados pelos estalos da Manopla do Infinito, também um pouquinho do paradeiro de seus personagens e até mesmo os próprios uniformes especiais do Peter.

Já comprou seu ingresso antecipado? Certamente você PRECISA ver esse filme!

LEIA TAMBÉM