Swift

Dumplin' - o livro e o filme


Algumas adaptações acabam passando despercebidas pelo grande público, pela falta de divulgação ou até mesmo pela falta do boca a boca, e Dumplin’ é uma delas. O que é uma pena, pois é uma bela história que foi escrita por Julie Murphy e adaptada pela Netflix esse ano, mas como nós amamos falar sobre tudo, hoje iremos fazer justiça à essa história.

Dumplin’ nos conta sobre a vida de Willowdean, uma garota que vive tentando fugir da sombra de sua mãe, que foi a miss em um concurso da cidade. A fama de sua mãe na cidade, assombra a vida de Willowdean que não poderia ser mais diferente dela, Will não liga muito para concursos de beleza e está acima do peso, o que é inadmissível para sua mãe.

Apesar de ter crescido com tantas diferenças, Will sempre teve ao seu lado sua tia que é a sua maior inspiração e a apresentou a Dolly Parton, sua cantora favorita. Porém, após a morte de sua tia, a garota precisa lidar com toda essa falta e principalmente precisa encontrar sua própria voz. Com uma sinopse dessas já podemos esperar uma grande história né? E sim, temos aqui uma grande história.


O livro consegue a façanha de nos prender à história logo nas primeiras páginas, e os personagens são muito bem trabalhados, o que dá gosto de ver. É muito bacana ler sobre uma garota fora do padrão, pois precisamos desses modelos de inspiração para os jovens, afinal todo mundo tem que ter lugar à frente dos holofotes.

Mas toda essa representatividade que foi bem feita no livro, acabou que não ficou tão evidente no filme, digo na parte do amor próprio. No filme, nossa protagonista sente tanta raiva de si mesma, tanto desgosto por ser quem é e infelizmente não temos tantas demonstrações de aceitação, o que é importante demais.

Esse foi um dos problemas da adaptação para mim, apesar de termos sim momentos de virada, não senti ali uma transformação mesmo, parece que a personagem seguiu sentindo raiva de si mesma, isso deveria ter sido trabalhado de uma outra maneira. Ao mesmo tempo que é importante termos representatividade é também igualmente importante que essa representatividade seja muito bem feita, e o filme pecou em alguns aspectos (na minha visão).


Porém o que o filme não tem, no livro tem e me senti abraçada. A leitura flui muito fácil e a história passa aquela sensação de quentinho no coração, sabe? Ver a Will vencendo seus medos, participando do concurso e assumindo sua voz é algo muito bonito, não digo que no filme também não foi, foi sim, temos cenas lindas na adaptação e claro que a presença de Jennifer Anniston como a mãe de Will fez toda a diferença.

O filme é bem legal mas poderia ter sido muito melhor, eu vi mais de uma vez e em ambas senti que faltava uma coisa ali pra realmente acontecer para mim. Já no livro, senti que aconteceu logo de cara, e acho que pra quem leu e viu o filme, pode ser que sinta o mesmo.

Agora o que teve nos dois e poderia ter tido muito mais, foi a presença da Dolly Parton, a história é toda cheia de referências e músicas da cantora, o que cria um clima extremamente mágico e muito legal. As cenas de música tanto no filme quanto no livro, são de longe as minhas partes favoritas na história, confesso que só de lembrar já me vem à trilha sonora na cabeça.

Para concluir, Dumplin' é uma bela história que poderia ter sido melhor adaptada, mas vale a pena sim conferir, indico principalmente o livro.

LEIA TAMBÉM