programacoes category image

O que chega em fevereiro na Netflix?

31 janeiro 2020 0 Comentários

Imagem reprodução Netflix

Depois de 400 dias, finalmente janeiro está acabando! Por isso aproveitei para vir aqui e te deixar sintonizado na programação da nossa querida Netflix para o mês de fevereiro.

Para quem também pretende deixar o carnaval mais produtivo, tem muitos originais Netflix, como a sequência de “Para Todos os Garotos que já Amei“, a segunda temporada de “Altered Carbon” e a grande promessa deste mês “Locke & Key“. Também teremos a temporada final de “Vikings” e muitas outras produções para alegrar seus dias! Confere aqui a programação: Continue lendo

programacoes category image

TUDUM Festival Netflix | Noah Centineo e Lana Condor causam comoção

29 janeiro 2020 0 Comentários

Para Todos os Garotos -PS: Ainda Amo Você

Encerrou-se nesta terça-feira, dia 28 de janeiro, a primeira edição do TUDUM Festival Netflix. O última dia de evento foi marcado por grandes expectativas, já que Lana Condor e Noah Centineo confirmaram sua presença no festival para bater um papo sobre a franquia Para Todos os Garotos Que Já Amei e conhecer os fãs brasileiros Continue lendo

programacoes category image

TUDUM Festival Netflix | Um festival recheado de atrações

28 janeiro 2020 0 Comentários

Tudum Festival

Este ano a Netflix ousou e nos presenteou com o TUDUM Festival Netflix, um evento voltado para os amantes do serviço de streaming! Durante os dias 25 de janeiro à 28 de janeiro, o evento irá divulgar novidades sobre suas produções e proporcionar ao público atividades completamente imersivas. Continue lendo

programacoes category image

Encontro da Aliança de Blogueiros Literários do RJ

19 fevereiro 2018 9 Comentários



No último sábado, a Aliança de Blogueiros Literários do RJ se reuniu para um bate-papo super legal com algumas editoras, além da interação entre a própria galera os blogs.


Das editoras, tivemos a Ediouro, Companhia das Letras, PvB Editorial e Rico Produções Artísticas, que nos falaram um pouco sobre as apostas editoriais que estão vindo agora em 2018, então fiquem de olho nas nossas transmissões porque tem coisa boa chegando para os amantes de livros, por aí!

Com os amiguinhos dos demais blogs, compartilhamos dicas de divulgação, de postagens e muitas melhorias para vocês que acompanham nossa tripulação!

A PvB Editorial e a Rico Produções Artísticas são duas novatas no mercado editorial, mas com grandes ideais e que também fornecem condições e até mesmo melhores oportunidades para novos escritores e autores independentes que queiram publicar suas obras.

A Rico também tem um selo excelente para aqueles autores de quadrinhos independentes, que querem realizar o sonho de publicar os suas HQs. Se você é um desses, é só falar com o Luiz através do e-mail originais@ricoproducoes.com.br.

Tivemos comida, demos muitas risadas e também recebemos alguns livros para resenharmos aqui para vocês.

Acompanhem também nossas redes sociais para saberem sobre novos eventos e livros que em breve sairão do forno!

Câmbio, desligo.
programacoes category image

As mulheres na direção ao Oscar

15 fevereiro 2018 0 Comentários

A indústria do cinema sempre foi muito machista, dando um grande destaque para o lado masculino de Hollywood. Mas com o tempo as mulheres foram tomando seu lugar nos holofotes, mostrando que também tem um brilho especial – ou quem sabe até melhor.

O Oscar é uma das premiações mais antigas que existe – com 90 anos de idade – e nenhuma mulher era apresentada como uma concorrente como melhor diretora, mesmo já existindo várias na época. Mas o jogo virou e essas mulheres – mesmo que sejam apenas cinco por enquanto – lutaram e chegaram até esse posto concorrendo como Melhor Diretora. E aproveitando a indicação de Greta Gerwig, resolvemos destacar e falar um pouco sobre essas mulheres:

1-  Lina Wertmüller, por Pasqualino Sete Belezas (1975)

Se passaram quarenta e oito edições do Oscar até que finalmente uma mulher foi indicada na categoria, sendo ela Lina Wertmülle, a diretora italiana que garantiu seu lugar pelo filme “Pasqualino Sete Belezas“, onde vemos a mistura de drama e humor para contar a história de um desertor italiano que é capturado por soldados alemães durante a Segunda Guerra. 

Ela concorreu junto de Alan J. Pakula, de Todos os Homens do Presidente; Ingmar Bergman, por Face a Face; Sidney Lumet, por Rede de Intrigas; e John G. Avildsen, por Rocky: Um Lutador – que faturou o prêmio daquela noite. 

O longa não concorreu como melhor filme, mas teve mais três indicações junto a dela por filme estrangeiro – representando a Itália -, Melhor Ator para Giancarlo Giannini e roteiro original para a própria Wertmüller.

 2- Jane Campion, por O Piano (1993)

Logo depois de Wertmüller foram 17 anos sem uma mulher nas indicações, e mesmo que ela tenha quebrado esse tabu foi uma espera até que longa para que veio em seguida. A diretora neozelandesa Jane Campion, que disputou em 1994 com O Piano, a história de uma mulher muda que nos anos 1850 é enviada à Nova Zelândia para um casamento arranjado. 

Infelizmente Campion não levou o prêmio, perdendo para Steven Spielberg, por A Lista de Schindler, concorrendo também contra James Ivory, por Vestígios do Dia; Jim Sheridan, por Em Nome do Pai; e Robert Altman, por Short Cuts – Cenas da Vida. Mas Campion pelo menos garantiu um prêmio, levando para casa o de roteiro original.

O Piano também faturou os prêmios de melhor atriz, com Holly Hunter, e atriz coadjuvante, com Anna Paquin, que na época tinha apenas 11 anos.

 3-  Sofia Coppola, por Encontros e Desencontros (2003)

Em 2004 a maravilhosa Sofia Coppola mostrou que está aos pés de seu pai, herdando os dons dele e de sua mãe, sendo a terceira mulher a concorrer ao Oscar na direção. Ela foi indicada por seu segundo longa-metragem, Encontros e Desencontros, estrelado por Bill Murray e Scarlett Johansson.

Sofia acabou não faturando o prêmio, perdendo para Peter Jackson, por O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei. Entre os concorrentes também estavam Clint Eastwood, por Sobre Meninos e Lobos; Fernando Meirelles, por Cidade de Deus; e Peter Weir, por Mestre dos Mares.

Mas a diretora não saiu de mãos abanando, levando para casa o prêmio por roteiro adaptado, sendo a terceira geração de sua família a ganhar um Oscar, depois de seu pai, o diretor Francis Ford Coppola, e de seu avô, o compositor Carmine Coppola.

 4- Kathryn Bigelow, por Guerra ao Terror (2008)

Mas foi então que em 2010 finalmente tivemos “A” grande reviravolta em que a diretora Kathryn Bigelow, por Guerra ao Terror levou a estatueta para casa por direção. Ela é a primeira e única – até o momento – a faturar o prêmio como Melhor Diretor na cerimônia do Oscar. Levando também como Melhor Filme, já que também era produtora do longa, tendo duas estatuetas em mãos.

Na categoria de direção, Bigelow concorreu junto de James Cameron, por Avatar; Lee Daniels, por Preciosa; Jason Reitman, por Amor Sem Escalas; e Quentin Tarantino, por Bastardos Inglórios.

 5-  Greta Gerwig, por Lady Bird: A Hora de Voar (2017)

A alegria após a vitória de Bigelow ao levar o Oscar para casa foi gigantesca, mas mostrou que tudo que é bom as vezes dura pouco e que a igualdade dos gêneros na indústria continuava ainda bem distante de existir. Levando mais oito anos para outra mulher chegar de novo nesta categoria. 

Dessa vez a mulher é Greta Gerwig, por Lady Bird: A Hora de Voar. A diretora concorre ao lado de Christopher Nolan, por Dunkirk; Jordan Peele, por Corra!; Paul Thomas Anderson, por Trama Fantasma e Guillermo del Toro, por A Forma da Água.

Gerwig até agora era conhecida por muitos como roteirista e atriz, tendo participação em Hannah Sobe as Escadas (2007), Frances Ha (2012) e Mistress America (2015). Por seu longa Lady Bird, Gerwig se torna a primeira mulher a concorrer por seu longa de estreia como diretora solo.
programacoes category image

Plataforma Literária

9 dezembro 2017 0 Comentários

Não é novidade que nós somos apaixonados por livros, certo? Nosso universo geek é muito recheado de estantes páginas e capítulos. Juntando esse amor pela leitura com a necessidade de crescimento da nossa nave, há dois meses nós inauguramos a nossa Plataforma Literária, é sobre ela que eu venho falar para vocês, hoje.

Plataforma Literária, é onde nos juntamos uma vez por mês para encarar a missão de desbravar as páginas de um livro de determinado tema. Já falamos sobre nossos livros de bordo e também já solucionamos os enigmas de um crime na galáxia e ambas as missões foram sucesso total!

Nossa Plataforma Literária foi construída na livraria Leitura do ParkShopping, no Rio de Janeiro, e quem comanda as missões sou eu — Miguel — e a Thamy.

Talvez você questione o motivo de mais um clube de leitura no Rio de Janeiro, mas eu explico! Nós temos, sim, alguns outros eventos desse tipo aqui na Cidade Maravilhosa, porém nenhum próximo a nós. Sempre prestigiamos os encontros promovidos por nossos amigos de leitura, mas sempre todos muito distantes. Pensando nisso, desenvolvemos a ideia de criar algo próximo da nossa residência e assim tentar levar o desenvolvimento da literatura a um público que talvez não fosse alcançado. Depois do sucesso de duas missões, comprovamos que nosso pensamento estava super correto, pegamos a rota certeira!

Então se você é do Rio de Janeiro e consegue chegar no ParkShopping (Campo Grande), venha participar da nossa tripulação! Nossos propulsores são ligados sempre aos últimos sábados, a partir das 15h.

Aqui em baixo eu vou deixar o link para os álbuns de fotos dos eventos realizados, caso queiram conferir também o material de apoio que as equipes editoriais enviaram e que garantiram a qualidade das missões.


1, 2, 3… Reconectando…
Nossa Plataforma de decolagem literária foi migrada para a livraria Leitura do Shopping Bangu, sempre aos últimos sábados, a partir das 15h! Mas atualmente encontra-se em manutenção. Voltaremos com muito mais livros em breve!