Últimos Posts
cinema category image

Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa | Crítica

6 fevereiro 2020 0 Comentários

Aves de Rapina

Sem medo de errar, Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa entrega um dos melhores filmes do universo DC até o momento. Cheio de piadas e muita cor, ele cumpre o papel de diversão e entretenimento na dose certa, sem contar as cenas de ação que estão, em sua maioria, muito boas.

Com tom de animação e cartunesco, o filme mostra a história da Dra. Harley Quinn (Margot Robbie), após sua dolorosa separação do Coringa, em busca de sua emancipação do papel de ser apenas a namora do temido vilão. Arlequina tenta seguir sua vida sem depender do Coringa para sobreviver. A relação deles teve uma breve introdução em Esquadrão Suicida, e nesse filme tem total enfoque nas consequências desse rompimento para a personagem.

Com direção de Cathy Yan, o filme traz elementos já conhecidos pelos fãs de Deadpool, porém, um pouco mais trabalhados nos quesitos de exagero e fantasia. Nas cenas de ação é possível perceber a influência da trilogia John Wick, o que enriquece ainda mais essas filmagens, prendendo a atenção do telespectador. O filme apresenta um roteiro muito bem trabalhado por Christina Hodson, sem falhas, envolvendo cada personagem na história com bastante consistência. A narrativa de introdução das personagens principais, como também, dos atos que se seguem, é feita de forma atemporal. O que dá um pouco de trabalho para entender no começo, mas que deixa o filme mais interessante e fluído. Quando você começa a questionar sobre uma ponta solta que passou, lá vai a narrativa retroceder para encaixar tudo no seu devido lugar.

Aves de Rapina

crédito: Warner Bros Pictures

A tática de usar o voice-over e a fala direta de Alerquina com a câmera para trazer liga à história foi um acerto, como também, de terem se aproveitado das cenas com bastante brilho e cores para aplicar recursos como slow motion ou uma filmagem em 360º, tornam toda produção ainda mais dinâmica e com um senso de urgência nos momentos certos. O filme ainda conta com uma grande dose cômica, e apesar de em alguns momentos estas serem sem graça, em sua grande maioria dão certo.

Ao tentar recuperar um diamante que foi roubado do Máscara Negra (Ewan McGregor), Arlequina acaba se envolvendo com a pequena Cassandra Cain (Ella Jay Basco), Canário Negro (Jurnee Smollett-Bell), Caçadora (Mary Elizabeth Winstead) e a detetive Renee Montoya (Rosie Perez) para sair dessa busca viva, mostrando assim o início da formação das Aves de Rapina.

Aves de Rapina

créditos: Warner Bros Pictures

Margot Robbie continua se entregando para o papel, convencendo mais nas cenas dramáticas que cômicas, além de ser uma das produtoras do filme. Acredito que ainda falta algo (não sei o que é) para ela fechar essa interpretação com tudo. Há de se abrir parênteses para destacar a atuação de Jurnee e Mary Elizabeth. As duas atrizes estavam realmente maravilhosas em seus papéis. A personagem Caçadora é na maior parte do tempo misteriosa e Canário Negro é uma diva, o que resultou em interpretações lindíssimas. No geral, todos foram muito bem em seus papéis.

Ewan McGregor também há de ser mencionado ao apresentar um vilão um tanto caricato mas que conversa muito bem com a proposta tanto visual como narrativa do filme. Nessa questão toda a produção é muito coesa em o que quer apresentar em tela. Uma explosão de cores, figuras criativos – que com toda a certeza serão o grande foca dos cosplayers na CCXP desse ano – e uma narrativa interessante e que traz mensagens necessárias.

Leia também:

Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa é divertido e colorido, além de nos dar a dica de que se formos salvar a cidade não deixe de levar um elástico de sobra para emprestar para parceira na hora da porrada. Brincadeiras à parte, a produção além de ser visualmente estimulante e entreter, engloba em seu enredo a importância da mulher, de sua independência e sororidade. Mostrando como tais temas são necessários de serem replicados e discutidos em nossa sociedade e convivências.

Ah, e não saiam correndo do cinema não, pois após os créditos a Alerquina dará um recadinho para vocês.

Curtiu? Deixe nos comentários sua opinião e aproveite para seguir nosso instagram clicando aqui

Leia esses posts também